Notícias » Espaço

Estudo indica que planetas com "poeira significativa no ar" podem ser mais habitáveis

Os pesquisadores sugerem que o componente climático possibilite a existência de vida

Isabela Barreiros Publicado em 10/06/2020, às 13h38

Simulações de exoplanetaas
Simulações de exoplanetaas - Denis Sergeev, Universidade de Exeter

Uma nova pesquisa, publicada na revista científica Nature Communications estudou a possibilidade de vida alienígena na galáxia. O estudo foi realizado em uma parceria da Universidade de Exeter, do serviço de meteorologia britânico Met Office e da Universidade de East Anglia e chegou à conclusão que planetas com "poeira significativa no ar" são o local mais provável para o desenvolvimento de vida.

Os cientistas investigaram principalmente exoplanetas, que são os que estão fora do sistema solar em questão, e a temperatura apresentada neles. Eles observaram que a presença de uma atmosfera poeirenta pode fazer com que as temperaturas sejam moderadas, facilitando a habitabilidade no planeta.

"Na Terra e em Marte, as tempestades de poeira têm efeitos de resfriamento e aquecimento na superfície, com o efeito de resfriamento normalmente vencendo. Mas esses planetas da 'órbita sincronizada' são muito diferentes”, explicou o principal autor do estudo, Ian Boutle.

Ele afirma que neles “os lados escuros desses planetas estão em noite perpétua e o efeito do aquecimento vence, enquanto que durante o dia o efeito do resfriamento vence”. Ou seja, “o efeito é moderar a temperatura extrema, tornando o planeta mais habitável”.

Com a pesquisa, eles chegaram à conclusão de que “estudos observacionais e teóricos futuros de exoplanetas terrestres devem considerar o efeito da poeira”.