Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Curiosidades

Estudo revela que São Paulo sofreu grande terremoto há 2,5 milhões de anos

Segundo dados do trabalho recente de pesquisa, um terremoto de impressionante magnitude 6 ocorreu na cidade de São Paulo há 2,5 milhões de anos

Éric Moreira Publicado em 12/02/2024, às 11h16

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografia aérea da cidade de São Paulo - Foto por RealityIllusion pelo Wikimedia Commons
Fotografia aérea da cidade de São Paulo - Foto por RealityIllusion pelo Wikimedia Commons

Um estudo recente publicado na Sedimentary Geology, desenvolvido em colaboração de pesquisadores da USP com a Universidade Federal do ABC, revelou que, há pelo menos 2,5 milhões de anos — o que é pouco tempo, do ponto de vista geológico —, a região onde hoje está a cidade de São Paulo sofreu um grande terremoto que, na escala Richter, atingiria uma impressionante magnitude 6. Esse estudo é o primeiro a documentar registros de abalos sísmicos tão intensos na região.

De acordo com a CNN Brasil, a afirmação se sustenta em feições geológicas encontradas no subsolo da área central da capital paulista. Vale mencionar que um tremor de magnitude 6, se ocorresse hoje em dia, seria mais que suficiente para destruir grande parte do centro da cidade — já o que provocou esse evento ainda é especulado, sendo uma das teorias levantadas a queda de um meteoro.

+ Onde a vida começou? Para esses cientistas, foi em crateras deixadas por meteoros

O que sustenta a teoria é que existe na zona sul da cidade, a cerca de 40 quilômetros do centro — mais especificamente sob os bairros de Colônia e Vargem Grande —, uma grande cratera com 3,6 quilômetros de diâmetro e cerca de 450 metros de profundidade, chamada Cratera Colônia.

Coberta por sedimentos, tendo se formado uma planície no local da cratera, ela passou despercebida por muito tempo, até que imagens aéreas e de satélite a revelaram na década de 1960. A partir de uma análise de suas bordas e também de seus sedimentos, é aferido que ela foi provocada pela queda de um meteorito, que também pode ter sido a razão para o grande tremor na região.

Tectonismo?

Outra hipótese levantada para a ocorrência do terremoto seria a atividade tectônica, que é a principal razão de tremores pelo mundo. De maneira geral, é bastante improvável que abalos sísmicos ocorram no Brasil, pois ele se encontra bem no centro da chamada Placa Sul-Americana, e tremores do tipo são mais frequentes em regiões de encontro de placas tectônicas.

No entanto, os cientistas afirmam que tremores também podem acontecer pela simples movimentação das placas, em qualquer região. No caso, se essa movimentação foi o que provocou os abalos sísmicos, ainda existe risco de que isso aconteça novamente.

Caso a gente consiga provar que não há relação entre o tremor e a Cratera Colônia, a única opção que nos restaria seria um terremoto de origem tectônica", afirma Maurício Guerreiro dos Santos, geólogo da Universidade Federal do ABC e um dos autores do estudo.

"Não seria algo inédito, isso ocorre com alguma frequência, embora seja mais comum nas bordas das placas tectônicas. Se um terremoto desses ocorresse hoje seria uma catástrofe completa, as construções de São Paulo não são feitas para esse tipo de ocorrência", complementa.

Por fim, o geólogo Renato Henrique Pinto, do Instituto de Geociências da USP, e também autor do estudo, afirma que "os grandes terremotos, em geral, ocorrem na plataforma continental, a 2 mil km de distância, e quando chegam aqui é com tremores muito fracos. A queda do meteorito faz mais sentido tanto do ponto de vista geológico, quanto da estratigrafia."

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!