Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Herança

Herdeira austríaca quer doar fortuna de US$ 27 milhões

“Herdei uma fortuna sem ter feito nada por isso.”, afirmou a austríaca Marlene Engelhorn, que pretende doar todo o seu dinheiro

Redação Publicado em 11/01/2024, às 19h31

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Marlene Engelhorn ao lado de uma imagem ilustrativa de cédulas de dinheiro - Reprodução/Vídeo/YouTube/MOMENT Magazin e Pixabay
Marlene Engelhorn ao lado de uma imagem ilustrativa de cédulas de dinheiro - Reprodução/Vídeo/YouTube/MOMENT Magazin e Pixabay

O que você faria se possuísse uma fortuna de US$ 27 milhões? A ativista austro-alemã, Marlene Engelhorn, de 31 anos, decidiu doar este mesmo valor, que recebeu como uma herança de sua avó. 

Engelhorn, que hoje vive em Viena, é cofundadora da Taxmenow, uma iniciativa que luta para acabar com a desigualdade de classe e, conforme repercutido pela revista People, ela decidiu começar em seu próprio lar. Assim, sua fortuna se encontra nas mãos do “Bom Conselho para a Redistribuição”, um grupo de 50 pessoas a partir de 16 anos. 

Para dar início ao seu projeto, 10 mil endereços na Áustria, selecionados aleatoriamente, receberam convites se inscrever como membro do conselho. Após o preenchimento de um questionário, uma amostra que represente a população austríaca será selecionada. 

Herdei uma fortuna e, portanto, poder, sem ter feito nada por isso. E o estado nem quer tributá-lo. Entretanto, muitas pessoas com empregos a tempo inteiro lutavam para sobreviver e pagavam impostos sobre cada euro que ganhavam com o seu trabalho.”, disse Engelhorn, segundo o jornal britânico The Times.

Distribuição de renda

Em 2008, o imposto sobre heranças foi abolido na Áustria, algo que Engelhorn vê como um “fracasso dos decisores políticos”. 

Não é a herança que deve garantir que estou bem na vida, mas a forma como contribuo para a sociedade e o fato de cuidarmos uns dos outros na sociedade. Mas se o meu nascimento é o fator decisivo, então algo está errado. Porque não somos uma sociedade que define as pessoas pelo nascimento, mas uma democracia.”, completou a herdeira.

Uma fez formado, o conselho possui carta-branca para doar toda a fortuna a quantas instituições desejar, sejam elas nacionais ou internacionais. 

Porém, uma cláusula o impede financiar atividades desumanas ou inconstitucionais, além de proibir que o dinheiro seja entregue a organizações com fins lucrativos ou qualquer outra atividade que impossibilite a redistribuição da riqueza.

Durante seis finais de semana, o conselho se reunirá em Salzburgo com especialistas para determinar o melhor destino para a herança de Engelhorn.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!