Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Guinness Book

Homem com coração lento pode entrar no Guinness Book pela anormalidade

O coração de Cameron Johnson é tão lento que médicos já chamaram ambulância para ele após fazer a medição; entenda como funciona o órgão recordista!

Ingredi Brunato Publicado em 19/12/2023, às 11h08

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografias do homem recordista - Divulgação/ Arquivo Pessoal
Fotografias do homem recordista - Divulgação/ Arquivo Pessoal

Cameron Johnson é um homem inglês de 24 anos que gosta de praticar corrida e, em geral, goza de perfeita saúde. Assim, ele surpreende médicos e enfermeiros quando esses checam sua frequência cardíaca — isso pois seus batimentos são muito lentos, o que, em outras pessoas, seria sinal de algo grave. 

No último mês de setembro, por exemplo, o britânico fez um exame de eletrocardiograma com 24 horas de duração, em que usou um dispositivo para medir as batidas de seu coração durante um dia e uma noite. A frequência mais lenta registrada foi de 22 bpm, o que é chocante: adultos em repouso tem uma média de 50 a 90 batimentos por minuto. 

Atualmente, o recorde do Guinness Book para coração mais lento é de 24 bpm, e pertence a Daniel Green, um atleta de alta resistência que já possui 81 anos de vida. O ritmo cardíaco de Johnson, portanto, pode torná-lo o novo recordista. Para isso, porém, ele precisa contatar a equipe do Livro dos Recordes a fim de fazer uma medição sob acompanhamento deles. 

Segundo repercutiu o New York Post, para ser oficializado como o vencedor da categoria o britânico precisa refazer o exame, dessa vez enquanto dois oficiais do Guinness observam, além de ser obrigatório o registro em vídeo do evento e ainda um estudo médico revisado por pares a respeito de sua situação. 

"Pausas noturnas"

Durante seu eletrocardiograma, Cameron Johnson descobriu que, durante a noite, quando está em absoluto repouso, seu coração chega a ter até 5 segundos de silêncio entre um batimento e outro, o que os médicos chamam de "pausas noturnas". 

Fiquei chocado com o quão baixo estava indo. É muito tempo quando você pensa em batimentos cardíacos", refletiu o rapaz, ainda conforme o veículo. 

Embora seu quadro necessite de monitoramento, porém, não existe nenhum risco iminente, dado que ele não enfrenta nenhum sintoma negativo como decorrência da situação única de seu órgão. 

Aliás, ele já recebeu de profissionais a recomendação de sempre levar com ele algum bilhete avisando que sua frequência cardíaca é anormalmente baixa para o caso de alguma emergência. Assim, caso ele esteja inconsciente e paramédicos chequem seu coração, já saberão o que esperar e não ficarão desesperados. 

Em julho deste ano, que foi uma das primeiras vezes que ele percebeu o quanto o ritmo de seu coração era incomum, um médico chamou uma ambulância para ele após conferir seu pulso. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!