Notícias » Brasil

Homem mais rico do Brasil, Joseph Safra morre aos 82 anos

Banqueiro de origem libanesa tinha uma fortuna avaliada em 119 bilhões de reais. Segundo a assessoria de imprensa do Banco Safra, ele faleceu de causas naturais

Fabio Previdelli Publicado em 10/12/2020, às 11h00

Foto de Joseph Safra
Foto de Joseph Safra - Wikimedia Commons

Nesta quinta-feira, 10, uma nota divulgada pela assessoria de imprensa do Banco Safra informou o falecimento de um de seus fundadores: Joseph Safra, de 82 anos. Segundo a nota, ele morreu de causas naturais.  

O banqueiro foi considerado o homem mais rico do Brasil, de acordo com o último ranking de bilionários brasileiros da revista Forbes. Safra tinha uma fortuna estimada em mais de R$119 bilhões e era a 63º pessoa mais rica do mundo. 

Nascido no Líbano, em 1938, Joseph veio para o Brasil na década de 1960, para dar continuidade aos negócios de seu pai. Ao lado de seu irmão, Moise Safra, morto em 2014, ele liderou um dos principais grupos financeiros do país.  

“É com imenso pesar que comunicamos o falecimento, nesta data, do Sr. Joseph Safra, aos 82 anos, de causas naturais. Seu José, como era chamado pelos mais próximos, nasceu em 1938 no Líbano e imigrou para o Brasil na década de 60, para dar continuidade aos negócios de seu pai, construindo os sólidos alicerces do Grupo Safra, mais conhecido no Brasil como Banco Safra", diz nota oficial divulgada pelo banco, que foi repercutida pelo UOL

"Em 1969, casou-se com Vicky Sarfaty, com quem teve 4 filhos e 14 netos. Foi um grande banqueiro, um verdadeiro empreendedor que construiu o Grupo Safra no mundo, obtendo sucesso por sua seriedade e visão de negócios. Foi um grande líder e muito respeitado dentro e fora da organização. Viveu uma vida exemplar, simples e reservada, sem ostentação, longe da exposição geral. Sempre dizia ter muito orgulho da cidadania brasileira e de torcer pelo Corinthians", acrescenta o texto. 

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), também lamentou a morte de Joseph Safra: "É com muito pesar que recebemos a perda de Joseph Safra. Figura emblemática do setor bancário no país, descendente de banqueiros e com visão estratégica sobre o país, Joseph Safra foi também um exemplo como empresário e filantropo. Sua contribuição para escolas, museus e instituições, não só no Brasil, quanto em outros países, é marcante. O legado de sua atuação no desenvolvimento da economia nacional ficará sempre marcado na história do Brasil, país que ele adotou 58 anos atrás" .