Notícias » Estados Unidos

Homem pode sair do corredor da morte após descoberta de DNA em faca

Preso nos EUA, Pervis Payne quase foi executado em dezembro de 2019. Agora, a arma do crime pode trazer sua liberdade

Larissa Lopes, com supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 21/01/2021, às 14h00 - Atualizado às 14h30

Pervis Payne espera decisão para sair do corredor da morte
Pervis Payne espera decisão para sair do corredor da morte - Divulgação/Innocence Project

O prisioneiro Pervis Payne, de 53 anos, poderá sair do corredor da morte nos Estados Unidos graças à descoberta de um novo material genético. O crime pelo qual Payne responde data de 1987, quando o suspeito foi condenado pela morte de sua esposa, Charisse Christopher, e da filha de 2 anos, Lacie Jo

O outro filho do casal, Nicholas, 3, foi esfaqueado junto com a mãe e a irmã, mas sobreviveu, segundo informações da agência Associated Press. A nova amostra de DNA foi descoberta na faca utilizada no crime, mas sua origem ainda é misteriosa. De acordo com o UOL, o FBI não tem material no banco de dados para identificá-lo. 

As novas pistas foram apresentadas em setembro de 2019 para a juíza Paula Skahan, do Tribunal Criminal do Condado de Shelby. Uma nova audiência aconteceu na última terça-feira,19, e a advogada de defesa Kelley Henry afirmou que, além do material genético desconhecido, o DNA de Payne também estava na faca. Tal narrativa vai de encontro com a versão do prisioneiro, que disse ter se ferido enquanto ajudava as vítimas.

A defesa de Payne, junto da organização Innocence Project — que defende pessoas condenadas injustamente —, espera provar sua inocência ou pelo menos livrá-lo da morte. Por outro lado, o promotor Steve Jones disse que os resultados do DNA não excluem Payne de ter alguma participação no crime. A juíza do caso concordou: "Não há nada que exonere Pervis Payne".