Notícias » Paleontologia

Ilha da Escócia foi dominada por mulheres durante a Idade do Bronze

Análises de DNA apontaram a relação genealógica sobre o fluxo migratório na região do sítio arqueológico

Wallacy Ferrari Publicado em 30/03/2022, às 17h02

Sítio arqueológico analisado por pesquisadores
Sítio arqueológico analisado por pesquisadores - Divulgação / Ease Arqueology

Um grupo de pesquisadores analisaram o sítio arqueológico Links of Notland, localizado nas ilhas Orkney, pertencentes a Escócia, descobriram um curioso fluxo de migração durante a Idade do Bronze; conforme publicado em estudo no Journal Antiquity, o DNA do assentamento aponta a dominância feminina da região no período.

A análise não apenas compreendeu estudos genéticos, mas sinais de passagens de famílias completas, mas com características específicas que demonstravam que as mulheres vieram de outras regiões que não apontavam a descendência local – diferente dos homens, cujo as análises apontavam origem local, dando a entender que foram gerados nas ilhas.

O DNA mostra que a comunidade de Links of Noltland era composta por homens locais e mulheres de descendência continental. O DNA mostra não apenas o fato da imigração, mas também a forma como ela foi mediada”, afirmou o Dr. Graeme Wilson, da Ease Arqueology, no enredo do estudo.

Os dados de DNA foram acessados com auxílio de escavações em anos anteriores e combinadas com novas descobertas, como no cemitério de Notland e até mesmo em uma curiosa tumba que acreditam tratar-se de um cofre familiar, intocado durante séculos. O cemitério agrupava três famílias com uma longa linhagem masculina, mas que apontam o deslocamento das fêmeas.

"Esses resultados demonstram como Orkney estava participando de redes mais amplas em um momento em que antes se pensava estar isolada e passando por uma espécie de 'recessão'”,  acrescentou Wilson, observando que os homens também teriam que sair se a população se tornasse muito ampla.

+Confira o estudo completo da descoberta clicando aqui;