Notícias » Rio Grande do Sul

Kiss: Sem habeas corpus, condenados se apresentam à polícia

Quatro pessoas foram condenadas pelo incêndio na boate, que deixou 242 pessoas mortas

Penélope Coelho Publicado em 15/12/2021, às 09h47

Condenados pelo incêndio na Boate Kiss
Condenados pelo incêndio na Boate Kiss - Divulgação/TJ -RS

Na noite da última terça-feira, 14, os quatro condenados no julgamento do caso do incêndio da boate Kiss começaram a cumprir as penas que receberam na última sexta-feira, 10.

Em 27 de janeiro de 2013, a casa noturna localizada em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, pegou fogo após um show pirotécnico. 242 pessoas morreram em decorrência da tragédia.

De acordo com informações publicadas pelo portal de notícias g1, na noite de ontem, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, aceitou o recurso do Ministério Público do RS e pediu a suspensão do habeas corpos preventivo, que até então concedia o direito dos condenados responderem em liberdade.

Após a decisão, o vocalista da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos, foi o primeiro a se apresentar, ele se dirigiu ao Presídio de São Vicente do Sul, na Região Central do Rio Grande do Sul.

O sócio da boate Elissandro Spohr, conhecido como Kiko, também se apresentou na noite de ontem, em Porto Alegre.

De acordo com a reportagem,  Luciano Bonilha, assistente de palco, foi preso na região de São Vicente do Sul, na manhã desta quarta-feira, 15. Já Mauro Hoffmann, outro sócio da casa noturna, se apresentou e foi preso em Santa Catarina.