Notícias » Brasil

Liberdade de imprensa: Pesquisa posiciona mal o Brasil em ranking global

O levantamento apontou relação entre o governo Bolsonaro e os problemas que o jornalismo brasileiro enfrenta, entenda!

Redação Publicado em 03/05/2022, às 10h39

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil
Jair Bolsonaro, presidente do Brasil - Getty Images

Nesta terça-feira, 3 de maio, se comemora o Dia Internacional da Liberdade de Imprensa. Em ocasião da data, a organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) publicou sua vigésima edição do "Índice Global de Liberdade de Imprensa", um levantamento que avaliou a relação que 180 países diferentes possuem com o jornalismo. 

O Brasil não se saiu muito bem no ranking: ele está na 110° posição, e, quando comparado às 26 nações da América Latina, se encontra entre os dez últimos, conforme dados repercutidos pelo UOL. 

Segundo o relatório, a imprensa do continente latino enfrenta uma verdadeira crise em sua liberdade de expressão. "Ataques públicos", "campanhas de difamação e intimidação" e "assédio online" são alguns dos problemas citados. 

Governo Bolsonaro

No Brasil, em particular, a ascensão de Jair Bolsonaro à presidência é apontada como um dos fatores de relevância para o cenário negativo que se criou ao redor do jornalismo brasileiro. 

“A retórica agressiva do governo Bolsonaro em relação aos jornalistas e à imprensa tem contribuído para o fortalecimento de uma atitude hostil e desconfiada em relação aos repórteres na sociedade em geral", aponta o documento. 

"O presidente insulta regularmente os jornalistas e a mídia. Ele mobiliza exércitos de apoiadores nas redes sociais, como parte de uma estratégia afinada de ataques coordenados que visam a desacreditar a imprensa, rotulada como inimiga do Estado", continua o texto. 

Outro problema citado pelo RSF consiste das fake news e disseminação de desinformação, o que "envenena o debate público", conforme descrito pela organização e repercutido pelo UOL. 

Exemplar

Nem todos os países da América Latina, todavia, possuem uma liberdade de imprensa em risco. A Costa Rica é uma notável exceção, configurando a oitava posição no ranking internacional. 

Além de ser de longe a melhor nação latina para a prática do jornalismo, a Costa Rica é o único país não-europeu a estar entre esses oito primeiros, constituindo um exemplo para outros continentes também.