Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Escócia

Macaco-japonês fugitivo é encontrado em jardim comendo amendoim

Desde o último domingo, 28, primata estava desaparecido do Highland Wildlife Park, na Escócia; se tornando uma celebridade local por conta do ocorrido

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 01/02/2024, às 11h55

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
O macaco fugitivo comendo amendoim - Reprodução/Video/BBC
O macaco fugitivo comendo amendoim - Reprodução/Video/BBC

No último domingo, 28, um macaco-japonês fugiu do Highland Wildlife Park, na Escócia. Após quatro dias de uma busca incansável, o animal foi encontrado em um jardim comendo amendoim. 

+ Macaco Tião, o chimpanzé que se candidatou à Prefeitura do Rio de Janeiro

Conforme repercutido pelo The Guardian, o primata foi avistado na manhã desta quinta-feira, 1, por um morador local, que disse que o macaco-japonês estava comendo alguns legumes deixados para os pássaros na área exterior de seu imóvel. 

Gerente de operações de coleções vivas no Highland Wildlife Park, Keith Gilchrist ficou responsável pelas buscas, descrevendo um "enorme alívio" pelo fim das operações. O animal foi atingido com um dardo tranquilizante e levado ao parque para ser examinado por um veterinário antes de ser reintegrado. 

Estamos muito felizes por ele estar de volta e em segurança", disse Gilchrist. "No final, o comedouro de pássaros salvou o dia. Em campo aberto é muito difícil acertar um dardo nele, mas sabíamos que se ele estivesse no lugar certo, na hora certa, conseguiríamos".

O fugitivo

Por fim, Keith relatou que o primata aparentava estar em condições razoavelmente boas, mesmo após quatro noites solto na natureza. O macaco foi localizado a cerca de dois quilômetros do parque e tornou-se uma celebridade local desde seu desaparecimento. 

"Pela quantidade de atenção que recebeu, seria bom se essas pessoas ficassem conosco e vissem o trabalho de conservação que fazemos em todo o mundo e localmente na Escócia", finalizou Gilchrist.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!