Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Médica

Médica de combate britânica é encontrada morta em Kiev

A médica, que tinha 26 anos de idade, passou os últimos 18 meses atuando como voluntária em meio à Guerra na Ucrânia

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 30/12/2023, às 10h08

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A médica britânica Katherine - Divulgação/Redes sociais
A médica britânica Katherine - Divulgação/Redes sociais

Katherine Mielniczuk, uma médica de combate britânica que atuava na Ucrânia, foi encontrada sem vida em sua cama em Kiev, capital do país, no último domingo. A causa do falecimento da mulher de 26 anos ainda não foi determinada, mas não está sendo considerada suspeita. O corpo foi encontrado por colegas da 151ª unidade das Forças de Operações Especiais do exército ucraniano.

Conhecida entre os amigos como Kat, a médica dedicou os últimos 18 meses como voluntária em meio à Guerra na Ucrânia. Desempenhando o papel de instrutora e médica de combate através do grupo humanitário StaySafeUA, ela dedicou seus esforços para oferecer serviços e assistência médica a civis e refugiados em áreas afetadas pelo conflito ucraniano.

Além disso, a britânica participava ativamente do Menace Medics, fornecendo apoio logístico para outros médicos de combate mais próximos da linha de frente, conforme informações do portal O Globo.

Campanha de arrecadação

Diante do ocorrido, a organização Project Konstantin iniciou uma campanha de arrecadação online para auxiliar a família de Kat a viajar para a Ucrânia e repatriar seu corpo para o Reino Unido.

Em comunicado no Facebook, a organização expressou sua solidariedade com a dor enfrentada pela família de Katherine, oferecendo suporte financeiro para os custos de repatriação.

Estamos focando na dor que sua família está enfrentando e tentando apaziguar seu sofrimento, proporcionando-lhes a oportunidade de voar para a Ucrânia e queremos ajudar com os custos de repatriação", disse a organização.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!