Notícias » Arqueologia

Médica enterrada há 1.800 anos é descoberta na Turquia

A descoberta foi considerada uma das mais antigas da região

Ingredi Brunato Publicado em 22/12/2020, às 13h30

Fotografia do local escavado
Fotografia do local escavado - Divulgação

Nessa terça-feira, 22, o Daily Sabah, um jornal turco, divulgou as descobertas mais recentes feitas na escavação da cidade de Hadrianopolis, no norte da Turquia, que já está sendo pesquisada desde 2003. 

Dessa vez, um dos principais achados foram tumbas datadas de 1.800 anos atrás - condizente com o período do Império Romano. Dentro delas, haviam moedas, e do lado de fora, vestígios de oferendas. 

Uma curiosidade do achado é que uma das sepulturas, que continha o esqueleto de uma mulher, tinha um instrumento médico enterrado próximo. Isso indicou aos pesquisadores que ela deveria ter sido uma médica da cidade em vida. 

Instrumentos encontrados próximo ao túmulo (um anel, uma lâmpada a óleo e instrumentos médicos) / Crédito: Divulgação 

 

“Eu diria que é o túmulo mais antigo desenterrado na área.”, disse ainda o professor Ersin Çelikbaş, que está liderando o estudo, de acordo com o Daily Sabah. 

Outras estruturas reveladas anteriormente em Hadrianopolis foram fortes, vilas, duas igrejas, um anfiteatro, e aquilo pelo qual ela é mais conhecida: inúmeros mosaicos representando animais variados (tanto reais quanto mitológicos, como é o caso do grifo).

Sobre Roma Antiga 

A capital do império mais importante e poderoso que o mundo já conheceu: a Roma Antiga. Em seu ápice, ela era quase idêntica às metrópoles atuais (mas sem a poluição no ar, claro). Aliás, Roma era ainda mais apinhada que os exemplos anteriores: no ano 200 alcançou 1 milhão de habitantes e sua densidade demográfica atingiu 66 mil pessoas por km2 (hoje, a cidade mais apertada do mundo é Mumbai, na Índia, com 29650 pessoas por km2).

O Império Romano é mundialmente conhecido por sua cultura, arquitetura, literatura e história vasta, repleta de batalhas e traições.