Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Claes Oldenburg

Morre Claes Oldenburg, escultor pioneiro da Pop Art, aos 93 anos

Claes Oldenburg era conhecido por obras que representavam objetos do cotidiano

Éric Moreira, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 19/07/2022, às 14h38 - Atualizado às 14h39

Claes Oldenburg era um escultor e se recuperava de uma queda - Foto por Gorupdebesanez pelo Wikimedia Commons
Claes Oldenburg era um escultor e se recuperava de uma queda - Foto por Gorupdebesanez pelo Wikimedia Commons

Claes Thure Oldenburg era um escultor estadunidense de origem sueca, e era extremamente reconhecido por conta de sua grande influência no movimento da Pop Art, com esculturas gigantes que representam objetos cotidianos, mas de forma fora do usual. Ele morreu na última segunda-feira, 18, enquanto se recuperava de uma queda.

O artista nasceu em Estocolmo, capital da Suécia, em 1929, e obteve sua nacionalidade estadunidense e se mudou para Nova York em 1956, o que o favoreceu a desnvolver sua carreira artística.

Ele foi um dos pioneiros do movimento Pop Art, ao lado de nomes como Andy Warhol e Roy Lichtenstein, e dizia ter como objetivo na arte "fazer um objeto cotidiano que escape da definição", como dito em entrevista ao jornal The New York Times.

Claes Oldenburg, escultor pioneiro do movimento da Pop Art
Claes Oldenburg, escultor pioneiro do movimento da Pop Art / Foto por Raimond Spekking pelo Wikimedia Commons

Obras

Suas obras, que tinham um tom casual, foram aclamadas pela crítica especializada e se tornaram bastante populares ao longo de sua carreira. Uma das esculturas mais famosas dele é o batom sobre as esteiras de um tanque, que foi exposta no campus da Universidade de Yale em 1960, e veio a se tornar um símbolo para os opositores da Guerra do Vietnã

Além dessa, outras de suas obras mais famosas são as casquinhas de sorvete em Nova York, o alfinete de roupa localizado na Filadélfia — que foi feito para comemorar os 200 anos da Declaração da Independência dos Estados Unidos, em 1976 — e a cereja equilibrada sobre uma colher em Minneapolis.

A partir da década de 1970, ele passou a trabalhar ao lado de sua esposa, Coosje van Bruggen, que veio a falecer em 2009. A Pace Gallery, galeria de arte que representava Claes Oldenburg, confirmou sua morte e o aclamou como "um dos artistas mais radicais do século 20 por seu papel no desenvolvimento da Pop Art". Segundo as informações transmitidas pelo g1, o artista se recuperava de uma queda quando morreu em sua casa, em Manhattan.