Notícias » China

Mulher sofre aborto espontâneo após ter atendimento médico negado

Gestante não foi atendida em hospital chinês pois não possuía teste negativo contra a Covid-19

Fabio Previdelli Publicado em 06/01/2022, às 17h15

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

Após ter um atendimento de emergência negado, uma mulher — que não teve a identidade revelada — sofreu um aborto espontâneo na porta de um hospital na cidade chinesa de Xi’an, que fica ao norte do país. 

Sob rígidas regras para controlar o avanço da Covid na região, os hospitais locais exigem comprovação de um teste negativo para atender alguns pacientes. Como a mulher não tinha tal atestado, os profissionais de saúde alegaram que sua admissão violava as regras sanitárias locais. 

O caso viralizou na rede social chinesa Weibo no último dia 3, segunda-feira. Um vídeo publicado na plataforma mostra a gestante do lado de fora do centro médico. É possível ver uma poça de sangue abaixo de seus pés. 

Ela acabou sendo atendida horas depois, mas a essa altura, seu filho já havia morrido em seu ventre. Segundo informou o UOL, a mulher estava em seu oitavo mês de gestação. O episódio fez com que o diretor local da Comissão de Saúde de Xi'an, Liu Shunzhi, emitisse um pedido público de desculpas

"Em nome da Comissão Municipal de Saúde, peço desculpas profundas à paciente e desculpas profundas pelo precário acesso ao tratamento médico e implementação inadequada de atendimento para grupos especiais durante a epidemia", declarou. 

Hoje, 6, Liu Shunzhi recebeu uma advertência disciplinar do Partido Comunista Chinês, que foi alvo de protestos públicos na internet pela maneira como os profissionais de saúde atendem com descaso gestantes e outros pacientes.