Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / China

Na China, influencers deverão seguir código de ética

Influencers chineses terão cursos para formação de live streamer e vendedor de live commerce

Redação Publicado em 05/07/2022, às 16h33

Imagem meramente ilustrativa da China - Foto de  Yinan Chen  no Pixabay
Imagem meramente ilustrativa da China - Foto de Yinan Chen no Pixabay

O governo chinês implementou no final de junho normas para influenciadores digitais que dão dicas relacionadas à saúde, exercícios e dietas a fim de evitar que leigos nos assuntos determinem ações e comportamentos de seus seguidores.

Os influencers deverão seguir um código de ética que impõe limitações à divulgação de informações por pessoas sem formação em áreas como ciências biológicas, medicina, enfermagem ou fisioterapia. Além disso, o órgão equivalente ao ministério da Educação no país, informou a criação de cursos superiores para formação de live streamer e vendedor de live commerce.

Algumas das disciplinas aplicadas no curso de live streaming, por exemplo, são iluminação, dicção, roteiro, estatística, programação e administração de empresas. De acordo com o Tilt UOL, o objetivo do governo é impedir a divulgação de falsas informações que possam prejudicar a sociedade.

Controle do universo digital 

A China há dois anos também intensificou as regulações contra as big techs do território. A grande economia, busca controlar os efeitos da digitalização na população e por isso outras medidas para moldar o futuro da sociedade também foram implementadas, como o controle do tempo de conectividade em lives por menores de 16 anos, que não podem permanecer assistindo após às 22h.

O Centro de Administração Cibernética impôs, além dessa medida, que contas de crianças sejam bloqueadas da 'Bytedance', empresa que controla a rede 'TikTok', se elas ultrapassarem os 40 minutos diários de uso.