Notícias » Brasil

Na Namíbia, pesquisador de pássaros é atacado por leão e precisa lutar para escapar

Gotz Neef saiu com vida de seu assustador encontro com um leão faminto, todavia não antes de passar cinco minutos lutando com a fera

Ingredi Brunato Publicado em 23/12/2020, às 14h00

Fotografia do pesquisador no hospital
Fotografia do pesquisador no hospital - Divulgação/ Facebook

A página no Facebook da Botswana Wild Bird Trust, uma organização dedicada à conservação e pesquisa de pássaros selvagens, relatou recentemente um incidente perigoso ocorrido com um de seus funcionários. 

Gotz Neef, de 32 anos, que é um especialista de pássaros, estava fazendo pesquisas em meio à selva da Namíbia quando foi atacado por um leão. Felizmente, seus amigos estavam acampados próximos, e puderam ajudá-lo, todavia não antes do homem precisar lutar por cerca de cinco minutos com o animal selvagem, desferindo socos. 

Enquanto um amigo do pesquisador jogou galhos para tentar fazer a fera desistir do ataque, outro pegou um carro e bateu no leão com ele. Após o terceiro baque, o animal afinal largou Gotz

De acordo com a publicação da página, o Dr Misha Kruck, que tratou o especialista em pássaros, disse que: “Infelizmente não foi nosso primeiro paciente que foi mordido por um gato grande, mas eu devo dizer que ele foi possivelmente nosso caso mais sério, devido à quantidade de vezes que o leão o mordeu”. 

O pesquisador acabou levando vários pontos em seu braço e ombro. Já o animal selvagem acabou passando por uma eutanásia, por estar muito magro e já enfraquecido pela fome. 

“Foi a coisa mais caridosa a fazer, já que ele estava apenas pele e osso. Dessa forma, morreria de forma agonizante sendo devorado por outros leões, ou então de fome", comentou Von Brandis, um dos colegas de Gotz, segundo divulgado pelo UOL.