Notícias » Coronavírus

Nenhuma criança ou adolescente morreu em decorrência da vacina no Brasil

A informação a respeito do imunizante contra covid-19 foi confirmada em boletim do Ministério da Saúde; entenda

Redação Publicado em 28/04/2022, às 13h56

Imagem meramente ilustrativa de criança recebendo vacina
Imagem meramente ilustrativa de criança recebendo vacina - Getty Images

De acordo com boletim epidemiológico publicado pelo Ministério da Saúde, após dez meses desde o início da vacinação de crianças e adolescentes no Brasil, concluiu-se que nenhuma pessoa nessa faixa etária faleceu em decorrência de efeitos colaterais do imunizante contra a Covid-19.

De acordo com informações publicadas nesta quinta-feira, 28, na coluna de Carlos Madeiro, no portal UOL, a conclusão acontece após o Ministério da Saúde ter finalizado a investigação de 38 óbitos, descartando a possibilidade de que as mortes tenham sido causadas pela vacina.

Segundo revelado na reportagem, os casos foram analisados com base nos dados presentes no sistema de informação do SUS, para acompanhar possíveis ocorrências epidemiológicas.

“Até o momento, não há registro de evento adverso com desfecho óbito na faixa etária de cinco a menores de 18 anos com relação causal com as vacinas utilizadas confirmada”, diz a nota oficial.

Sobre a vacinação infantil

Em meio à pandemia de Covid-19, a vacinação para adolescentes entre 12 e 17 anos foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em junho de 2021. Já a imunização contra o novo coronavírus para crianças entre 5 e 11 anos foi aprovada somente em dezembro de 2021.