Notícias » Saúde

OMS afirma que a variante Ômicron pode representar risco global “muito alto”

Tedros Adhanom, diretor-geral da organização, quer fazer um acordo para prevenir futuras pandemias

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 29/11/2021, às 15h25

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS
Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS - Getty Images

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse, nesta segunda-feira, 29, que a nova variante do coronavírus, a Ômicron, pode representar um risco global “muito alto”, com chances de se espalhar internacionalmente e de haverem surtos de casos  com consequências graves” em alguns lugares.

Além disso, foi dito que ainda não houve relatos de mortes decorrentes da Ômicron e que é preciso que mais pesquisas sejam feitas para que possamos entender o potencial da variante de escapar da proteção induzida por vacinas e infecções anteriores. As informações são da CNN Brasil.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, o diretor-geral da OMS, também fez um alerta ao início de uma assembleia entre ministros da saúde, que deve iniciar negociações sobre um acordo internacional para prevenir futuras pandemias:

 A Ômicron demonstra exatamente por que o mundo precisa de um novo acordo sobre pandemias: nosso sistema atual desincentiva os países de alertar os outros sobre ameaças que inevitavelmente pousarão em suas costas”, disse.

Este novo acordo global está previsto para maio de 2024, e deve cobrir problemáticas como o compartilhamento de dados e sequências do genoma de vírus emergentes e de quaisquer vacinas potenciais derivadas de pesquisas.