Notícias » Rússia

Ou volta ou será preso: Alexei Navalny recebe ultimato para retornar à Rússia

Opositor de Vladimir Putin, Navalny está na Alemanha, onde recebeu tratamento médico após ter sido vítima de uma tentativa de envenenamento — Rússia nega envolvimento no ato

Fabio Previdelli Publicado em 29/12/2020, às 11h36

Navalny sendo preso em 2017
Navalny sendo preso em 2017 - Wikimedia Commons

Alexei Navalny, um dos maiores crítico de Vladimir Putin, presidente da Rússia, recebeu ultimato da polícia russa para que se apresente a um escritório de Moscou até a manhã desta terça-feira, 29. Caso contrário, ele poderá ser preso caso retorne ao país após o prazo estabelecido.  

O Serviço Penitenciário Federal Russo (FSIN) disse em um comunicado, na última segunda-feira, 28, que ao ficar na Alemanha após a recuperação "de sua doença", Navalny está violando os termos de uma pena de prisão que ainda está cumprindo, resultante de uma condenação de 2014.  

Navalny recebeu tratamento clinico após ter sido vítima de uma tentativa de envenenamento, em agosto, com a substância neurotóxica Novichok. O ato, segundo Navalny, ferrenho crítico do Kremlin, teria ocorrido por motivações políticas.  

Entretanto, a Rússia nega qualquer participação no possível atentado e acredita que ele sequer tenha sido envenenado. 

Alta médica

Com base em um artigo publicado no periódico médico britânico The Lancet sobre o tratamento de Alexei, o FSIN disse que Navalny teve alta médica em 20 de setembro, em um hospital de Berlim; e que todos os sintomas de sua possível “doença” já haviam desaparecido em 12 de outubro. "Portanto, o condenado não está cumprindo todas as obrigações impostas a ele pelo tribunal, e está se furtando à supervisão da Inspetoria Criminal." 

O serviço acrescenta que Navalny foi intimado a comparecer no centro de controle penal na Rússia; caso contrário sua pena será substituída. Atualmente, Alexei cumpre pena de prisão suspensa de três anos e meio por roubo. Sua condicional termina no próximo dia 30 de dezembro.