Notícias » Saúde

Paciente com doença neurodegenerativa sem cura anda pela 1ª vez após 18 meses

Nirina considerou o momento como ‘um milagre’: “Durante os últimos dois meses eu consegui andar novamente”

Fabio Previdelli Publicado em 11/04/2022, às 15h55

Nirina caminhando após implante
Nirina caminhando após implante - Divulgação/ EPFL/Jimmy Ravier

Acometida pela atrofia de múltiplos sistemas (MSA), condição rara do sistema nervoso que causa danos graduais às células nervosas do cérebro, Nirina, de 48 anos, voltou a andar após 18 meses graças a um implante espinhal eletrônico.

Pacientes com MSA apresentam uma queda na pressão arterial quando ficam em pé, fazendo com que eles se sintam tontos ou desmaiem. Por conta disso, na Suíça, cientistas desenvolveram um "estimulador eletrônico" — implantado diretamente na medula espinhal, o equipamento ‘reativa’ neurônios específicos que regulam a pressão arterial. 

Foi por conta disso que Nirina voltou a andar 18 meses depois de ficar acamada. Três meses após a colocação do implante, a paciente foi capaz de caminhar até 250 metros com o auxílio de um andador, segundo os pesquisadores do centro de pesquisa NeuroRestore em Lausanne.

MSA é uma doença em que os neurônios estão morrendo — especificamente os neurônios que são responsáveis ​​pelo controle da pressão arterial", explica Jocelyne Bloch ao periódico inglês. 

“Significa que quando o paciente está de pé, a pressão sanguínea diminui e, em seguida, ocorre uma síncope [um sintoma definido como perda súbita e transitória da consciência secundária a hipoperfusão cerebral difusa]”, completa. 

Com o sucesso da aplicação da tecnologia em Nirina, a expectativa é que mais pessoas possam ser submetidas ao implante espinhal eletrônico — que já havia sido usado para tratar a pressão arterial baixa em pacientes tetraplégicos. Mas este teste envolvendo Nirina marca a primeira vez que ele foi aplicado a esse tipo de doença neurodegenerativa. 

Nos primeiros sete dias, a paciente foi submetida a testes de inclinação; o que significa que ela se deitou em uma mesa que moveu lentamente a posição do corpo da horizontal para a vertical — o que diminui sua pressão arterial. 

Ela também recebeu reabilitação no hospital três dias por semana durante seis semanas e depois começou a usar o sistema em casa, em pé. Depois de três meses, Nirina não teve mais síncope e conseguiu andar até 250 metros usando um andador.    

Nirina descreveu as mudanças como 'um milagre’: “Durante os últimos dois meses eu consegui andar novamente”, celebrou. Em 2017, ela foi diagnosticada com um tipo parkinsoniano de atrofia de múltiplos sistemas (MSA-P), a forma mais comum de MSA. Até o momento, não existe tratamento para a enfermidade.