Notícias » Paleontologia

Paleontólogos descobrem novas evidências sobre megafauna na Austrália

De acordo com os pesquisadores, os humanos dividiam espaço com lagartos e marsupiais gigantes

Penélope Coelho Publicado em 19/06/2020, às 14h19

Representação de animais gigantes na Austrália
Representação de animais gigantes na Austrália - Divulgação / Museu de Queensland

O artigo publicado pelo site Ancient Origins, revelou que uma equipe de pesquisadores australianos está estudando a origem de grandes fósseis de animais encontrados em Queensland, na Austrália.

Segundo os pesquisadores, há cerca de 60 mil anos atrás animais gigantes ocupavam aquele território e dividiam espaço com os humanos. Até então, foram encontradas fósseis de 13 espécies extintas, entre elas: lagartos de seis metros, marsupiais enormes e cangurus com o dobro da altura de um humano, o animal pesava 274 quilos e foi o maior encontrado até então.

Osso do canguru encontrado em Queensland, Austrália / Crédito: Divulgação / Museu de Queensland

 

“Nosso estudo representa um primeiro olhar confiável sobre os gigantes que vaguearam pelos trópicos australianos entre 40 mil e 60 mil anos atrás”, afirmou o líder da pesquisa, Scott Hocknull.

Para os pesquisadores, essa descoberta ajuda a entender um pouco melhor sobre a extinção dessas espécies representantes da megafauna. Segundo o estudo, esses animais gigantes habitavam a região, no mesmo momento em que as primeiras pessoas chegavam à Oceania.

Expedição na Austrália / Divulgação / Museu de Queensland

 

Os especialistas acreditam que o motivo da extinção dos animais tenha sido a redução da vegetação em decorrência de incêndios, atualmente, o objetivo dos pesquisadores é entender quais serão os impactos futuros das mudanças climáticas que a Austrália vive hoje. Para evitar o acontecimento da perda de espécies tão típicas da região, como conhecemos hoje.