Notícias » Arqueologia

Pesquisadores encontram impressionantes fragmentos de cerâmica de 800 anos na Inglaterra

Em escavação realizada em Oxford, Inglaterra, arqueólogos descobriram aspectos de antiga comunidade judaica

Penélope Coelho Publicado em 07/04/2021, às 11h49

Arqueólogos em escavação em Oxford, Inglaterra
Arqueólogos em escavação em Oxford, Inglaterra - Divulgação/Universidade de Bristol

De acordo com informações publicadas nesta terça-feira, 7, pelo portal britânico iNews, pesquisadores da Universidade de Bristol, em parceria com arqueólogos da Oxford Archaeology, fizeram uma descoberta reveladora durante uma escavação realizada em Oxford, Inglaterra — local que abrigou uma antiga comunidade judaica medieval.

Segundo revelado na publicação, durante a expedição os especialistas encontraram fragmentos de cerâmica de 800 anos, além de ossos de animais, principalmente gansos. No local, também foram encontrados restos de peixes.

Inicialmente, a completa ausência de ossos de porcos foi um dos fatores que alertou os especialistas para uma descoberta relacionada a hábitos da religião judaica.

Após análises, os especialistas concluíram que os resquícios de alimentos encontrados se encaixarem na chamada dieta kosher, ou seja, uma dieta que segue as leis do judaísmo. De acordo com os arqueólogos responsáveis, acredita-se que os fragmentos de cerâmica serviam como recipientes para a produção dos alimentos, principalmente dos peixes.

Jarra medieval encontrada em Oxford / Crédito: Divulgação/Universidade de Bristol

 

Segundo a reportagem, o novo estudo é considerado o primeiro que conseguiu realizar a identificação de uma dieta judaica a partir de resíduos de alimentos antigos.

“Este é um exemplo notável de como a informação biomolecular extraída da cerâmica medieval combinada com documentos antigos e ossos de animais, forneceu uma visão única de 800 anos sobre antigas práticas dietéticas judaicas”, revelou a autora principal do estudo, Dra. Julie Dunne.

Leia a pesquisa completa aqui.

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.