Notícias » Crimes

Pinturas rupestres do famoso monumento Uluru, na Austrália, foram vandalizados

Imagens de mitos da criação para os povos originários do país foram parcialmente apagadas com óleo, causando grande dano ainda a ser reparado

André Nogueira Publicado em 03/03/2020, às 09h30

Uluru, ou Ayers Rock
Uluru, ou Ayers Rock - Getty Images

O famoso monólito australiano Uluru, no coração do Centro Vermelho, foi vandalizado com óleo vegetal, trazendo incalculáveis prejuízos ao patrimônio histórico aborígene da Austrália. Segundo relato divulgado pela ABC News, um terço das artes feitas numa caverna na base da estrutura foi danificado, encobertas parcialmente pelo material.

As pinturas atingidas retratavam narrativas autóctones de contos cosmogônicos. Esse caso ocorreu após diversos descasos realizados contra o local, que recebeu turistas desrespeitosos a ponto de acumulares muito lixo e até defecarem no topo da montanha; por esse motivo, o ponto turístico estava fechado desde outubro do ano passado.

Arte rupestre danificada / Crédito: Divulgação

 

"Absolutamente horrorizado", se declarou o gerente de turismo Seteven Baldwin ao jornal. Aborígenes ulurus estavam presentes no momento da descoberta do vandalismo e ficaram, segundo Baldwin, "bastante chateados". É "bastante decepcionante quando uma ou duas pessoas estranhas fazem seus protestos", declarou o Ministro-chefe do Território do Norte, Leroy Lester, que recomendou uma melhor educação sobre a importância e o respeito às tradições originárias do país.

Arte rupestre danificada / Crédito: Divulgação

 

A polícia local ainda não conseguiu estabelecer nenhum parâmetro que ajude a descobrir o autor ou as razões desse crime. Porém, um especialista em restauração já foi contatado para que auxilie os administradores e os ocupantes tradicionais do parque na reparação do estrago feito. Por enquanto, foi estabelecido que eles "não [devem] fazer nada de maneira reativa ou rápida", ponderando para impedir maiores danos.