Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / EUA

Procurador americano defende pena de morte para autor de massacre na Flórida

Profissional fez apelo para que o responsável por ataque ocorrido em 2018 receba a pena capital

Redação Publicado em 19/07/2022, às 09h23

Grupo reunido em frente a painel com fotos das 17 vítimas do atentado - Getty Images
Grupo reunido em frente a painel com fotos das 17 vítimas do atentado - Getty Images

Um procurador apelou à Justiça americana, na última segunda-feira, 18, para que jurados condenassem à morte o autor de um ataque a escola na Flórida ocorrido em 2018. Na ocasião, 17 pessoas foram mortas, sendo 14 estudantes e 3 funcionários.

De acordo com informações da agência Reuters, o acusado, que tem hoje 23 anos, se declarou culpado do massacre na Marjory Stoneman Douglas High School, na cidade de Parkland.

Ao corpo de jurados do Condado de Broward, o procurador Michael Satz disse que Nikolas Cruz cometeu "assassinato sistemático, planejado, orientado ao objetivo - de um assassinato em massa - de 14 estudantes, um diretor atlético, um professor, e um técnico".

Atirador "lamenta"

Em sua declaração de culpa, o autor dos disparos afirmou "lamentar muito" e pediu uma chance para que pudesse ajudar os outros. Para Satz, porém, os fatores agravantes no caso, como o fato do crime ter sido premeditado, superam os argumentos de leniência, entre os quais está o de que o acusado possui histórico de problemas de saúde psiquiátrica.

Segundo a fonte, o ex-aluno da instituição alvo será condenado à prisão perpétua sem condicional caso qualquer um dos 12 jurados envolvidos for contra a pena de morte. Essa decisão pode levar meses.