Notícias » Resenha

“Espelho do Ocidente” analisa a origem do nazismo sob novo ângulo

O autor francês Jean-Louis Vullierme propõe enxergar a ideologia por meio do contexto histórico e social do mundo ocidental

Alana Sousa Publicado em 13/02/2019, às 16h00

Desfile de “brownshirts”, em Nuremberg, Alemanha, 1929
Desfile de “brownshirts”, em Nuremberg, Alemanha, 1929 - Getty Images

“É comum acreditar que o nazismo é produto de geração espontânea, fruto de mentes doentias e desmoralizadas, e que nasceu a partir da ideologia antissemita e do revanchismo em relação às consequências da Primeira Guerra Mundial. No entanto, suas origens são muito mais amplas e profundas”, é o que nos conta a sinopse do livro Espelho do Ocidente: Nazismo e a Civilização Ocidental. A nova obra pretende analisar o nazismo sob um novo ângulo.

O autor e filósofo francês de 66 anos Jean-Louis Vullierme apresenta uma ampla pesquisa da origem intelectual do nazismo. Mostrando-nos o pensamento de Hitler fundamentado na tradição e ciência, e como intelectuais e empresários da época compartilhava de tal ideia.

Reprodução

A análise do modo de pensar e operar dos nazistas, além do vigor com que o extermínio foi empregado como solução pretender confirmar que o nazismo e, em consequência, o Holocausto, foram inevitáveis num continente que foi palco de tantas maldades através da história.

Espelho do Ocidente foi publicado pela primeira vez em 2014, mas só agora ganha uma versão impressa para o Brasil.


Espelho do Ocidente: Nazismo e a Civilização Ocidental, Jean-Louis Vullierme, Editora Difel, 364 páginas, R$ 72,00