Notícias » Arqueologia

Templo romano é encontrado sob casa do século 18 em Malta

Arqueólogos descobriram partes da antiga fundação, como uma parede de canto que estava completa e com piso original

Isabela Barreiros Publicado em 18/08/2020, às 14h29

Evidências do templo em Tas-Silġ, Malta
Evidências do templo em Tas-Silġ, Malta - Divulgação/Heritage Malta

No povoado de Żejtun, em Malta, autoridades estavam planejando a restauração de uma antiga casa de fazenda do século 18 para transformá-la em um centro de visitantes no sítio arqueológico de Tas-Silġ. No entanto, isso não poderá mais ser possível, visto que, durante a avaliação do local, foram encontradas partes de um templo romano.

A descoberta significativa surpreendeu os pesquisadores, mas não tanto. “A casa da fazenda foi construída em um canto dos templos, então a chance de encontrar vestígios no local sempre foi muito alta, mas nunca foi investigada a fundo”, afirmou David Cardona, curador de sítios arqueológicos fenícios, romanos e medievais.

Segundo Cardona, “graças ao trabalho de escavação que realizamos com os alunos, percebemos que os restos debaixo da fazenda eram muito valiosos e foi quando o projeto mudou de consertar a casa da fazenda para trabalhar para descobrir o que restou no fundo”. Assim, eles conseguiram encontrar algumas partes da importante estrutura, como, por exemplo, uma parede de canto que estava completa e com piso.

Crédito: Divulgação/Heritage Malta

 

No entanto, como é possível perceber, ainda estava faltando o restante. Desse modo, como resultado da parceria da Heritage Malta e da SintegraM, Savior Formosa, do Departamento de Digitalização, desenvolveu uma representação em 3D do que faltava do templo. Isso será apresentado a partir de uma maquete interativa.

A descoberta possibilitou que os pesquisadores compreendessem mais o método de construção dos romanos no local. “Em vez de construir diretamente no solo, principalmente onde a rocha era frágil, os romanos cavavam trincheiras e colocavam grandes blocos de pedra calcária para levantar uma plataforma”, explicou Maxine Anastasi, do Departamento de Arqueologia e Clássicos.

“Com base nas trincheiras que encontramos aqui, o que nos dá uma ideia da fundação e dos níveis do piso do templo, podemos imaginar um grande peristilo colunado com uma fachada considerável”, concluiu.