Notícias » Ciência

Vespas são encontradas preservadas em âmbar de 25 milhões de anos

De acordo com especialistas, as vespas-bandeira são conhecidas pela morte de baratas; descoberta pode indicar a presença desse inseto na mesma época

Penélope Coelho Publicado em 30/09/2020, às 08h00

Imagem de vespa preservada em âmbar
Imagem de vespa preservada em âmbar - Divulgação / Oregon State University

Um estudo realizado pela Oregon State University revelou a presença de quatro novas espécies de vespas-bandeira parasitas encontradas em uma resina fossilizada, três delas em âmbares da República Dominicana e a outra no México. As informações são do portal Phys.

Nos dias atuais as espécies de vespas giram em torno de 400, em 20 gêneros distribuídos que podem ser encontrados ao redor do mundo. De acordo com a publicação, as vespas-bandeira são conhecidas por serem grandes predadoras de baratas, o que para os especialistas indica a presença deste inseto no mesmo período.

Caption

 

“Nosso estudo mostra que essas vespas existiam há cerca de 20 ou 30 milhões de anos, com provavelmente os mesmos padrões de comportamento em relação às baratas”, revelou o pesquisador envolvido no estudo, George Poinar Jr.

Essa espécie de vespa carrega em si a fama de assassina de baratas e já chegou até a ser usada para o controle da proliferação do inseto em residências, como revelou Poinar. A fama não acontece sem motivo, na verdade, seguindo a lei natural, as vespas-bandeira fêmeas colocam seus ovos sobre os ovos das baratas e assim, ela se torna alimento para as vespas depois de serem chocadas.

Até o momento nenhum fóssil de barata foi encontrado nos âmbares, os especialistas encontraram por sua vez, três cupins voadores estavam ao lado de uma das vespas. Para George a presença deles indica um provável compartilhamento entre o ninho de barata, o que deve ter atraído a vespa para o local. Os especialistas continuarão trabalhando nas pesquisas a fim de encontrarem novas evidências.