Matérias » Personagem

A pouco lembrada história do almirante do Brasil Império

Conheça a saga de Joaquim Marques Lisboa, patrono da Marinha Brasileira

Redação Publicado em 05/12/2021, às 09h00

Almirante Tamandaré em fotografia
Almirante Tamandaré em fotografia - Domínio público / Desconhecido

Joaquim Marques Lisboa, também conhecido como Almirante Tamandaré, foi um importante militar durante o período do Império. Ele, quem tem o título de Patrono da Marinha do Brasil, atuou nas principais lutas do século 19, desde as revoltas do Primeiro Reinado até a Guerra do Paraguai.

Em razão de seus feitos históricos, na data de seu aniversário, 13 de dezembro, é comemorado o dia do marinheiro.

Início da carreira militar

Nascido em 1807, na cidade gaúcha do Rio Grande, Joaquim entrou cedo para a Marinha e, aos 16 anos integrou o grupo armado que lutou contra a "Confederação do Equador". Era julho de 1824 quando ele embarcou na nau Pedro I em direção às províncias do nordeste, que se rebelavam contra o império.

Nau Pedro I / Crédito: Wikimedia Commons / Trajano Augusto de Carvalho

 

Com a vitória das forças do imperador sobre os republicanos, o militar foi nomeado “Segundo-Tenente”, conforme informou o eBiografia.

Um ano muito depois, teve início um segundo movimento separatista, desta vez na "Província Cisplatina". O almirante se dirigiu ao combate viajando na nau Niterói, comandada por James Norton. Mais uma vez, o jovem líder se destacou, de modo que recebeu o comando da escuna Constança.

Naufrágio

Como primeiro-tenente, em setembro de 1827, Joaquim Marques Lisboa acabou sofrendo um naufrágio enquanto atacava os corsários na baía de São Brás e teve de ser resgatado pela fragata Príncipe Imperial.

Salvamento da Ocean Monarch / Crédito: Wikimedia Commons / Samuel Walter

 

Novas rebeliões

Após a abdicação de D. Pedro I, em 1831, ocorreram diversas rebeliões, as quais foram reprimidas. No mês de setembro daquele ano, o almirante venceu uma revolta no Recife e uma segunda no Ceará. Poucos anos depois, estouraria a "Cabanagem", em Belém do Pará.

Em 1936, dois anos antes de se casar com sua sobrinha Eufrásia de Lima Lisboa, foi promovido a “Capitão-Tenente” e, pouco depois da oficialização da união, foi enviado para lutar na "Sabinada", em Salvador.

Marquês de Tamandaré / Crédito: Domínio público / Desconhecido

 

Mais tarde, combateu na "Revolução Farroupilha", no Rio Grande do Sul e também na "Balaiada", no Maranhão.

O mais longo conflito

Em 1864, participou do mais longo conflito da história do país, a "Guerra do Paraguai", sendo ele o autor do plano de bloqueio do rio Paraguai. Joaquim foi ainda o responsável por comandar a esquadra brasileira na Batalha do Riachuelo em 11 de junho de 1865.

Em 1887, no dia em que completou 8 décadas de vida, foi nomeado conde e, no ano seguinte, marquês de Tamandaré. Ele faleceu no dia 20 de março de 1897, aos 89 anos.


+Saiba mais sobre o Brasil Império por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Pedro II – A história não contada: O último imperador do Novo Mundo revelado por cartas e documentos inéditos, de Paulo Rezzutti (2019) - https://amzn.to/2qWOGw7

Coleção Princesa Isabel: Fotografia do Século XIX , de Bia Correa do Lago e Pedro Correa do Lago (2013) - https://amzn.to/34ue8aO

Retratos do Império e do Exílio, de Vários Autores (2011) - https://amzn.to/35PKgWP

Pedro: Imperador do Brasil e rei de Portugal, de Eugénio dos Santos (2015) - https://amzn.to/34ySFO6

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W