Matérias » Japão

Afinal, uma mulher pode assumir o trono do Japão?

Nos últimos anos, um intenso debate surgiu entre os japoneses: poderia a única filha do imperador se tornar herdeira do trono?

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 13/06/2021, às 09h00 - Atualizado em 14/06/2021, às 09h17

Família imperial japonesa em foto
Família imperial japonesa em foto - Getty Images

A monarquia japonesa é uma das mais antigas do mundo e, ainda hoje, mantém muitas de suas tradições. 

O atual imperador, Naruhito, assumiu a posição no ano de 2019, quando sei pai, Akihito, quem ficou durante 30 anos no poder abdicou. "Desejo de todo o coração que o povo permaneça unido", declarou o antigo governante na época.

Akihito e sua esposa Michiko no ano de 2002 / Crédito: Getty Images

 

Conforme a Agência Brasil, a cerimônia de ascensão ao trono se deu no dia 22 de outubro do mesmo ano, no Palácio Imperial, localizado na capital Tóquio. 

"Eu espero, sinceramente, que nosso país, por meio da sabedoria e esforços incessantes do povo, se desenvolva ainda mais e contribua para a amizade e paz da comunidade internacional e bem-estar e prosperidade da humanidade", disse Naruhito durante o evento. 

Uma única herdeira

O novo governante, que tem 61 anos, é casado com a princesa Masako, ex-diplomata com quem tem uma única filha, Aiko, conhecida por seu título princesa Toshi. Assim, o que esperaríamos era que a jovem, nascida em dezembro de 2001, fosse a principal herdeira do trono.

Naruhito, Masako e a filha do casal, Akito, no ano de 2002 / Crédito: Getty Images

 

No entanto, as regras da monarquia japonesa impedem que uma mulher assuma o trono Crisântemo do país, o que tem gerado intensos debates ao longo dos anos.

Além disso, a tradição determina que as mulheres deixem seus títulos quando se casam, de modo que também seus descendentes não entram para a linha de sucessão.

Contudo, nem todos os japoneses são favoráveis à regra. Conforme divulgado pela agência de notícias AFP em 2019, a maioria dos participantes de uma pesquisa concordou com a ideia de uma mulher assumir o trono.

Para se ter ideia, a pesquisa feita pela agência Kyodo na época revelou que 81,9% dos japoneses eram favoráveis a ideia, sendo que apenas 13,5% não se mostraram felizes com o possível cenário numa pesquisa feita com 1.009 pessoas. 

De acordo com a BBC, durante muito tempo, Masako sofreu uma enorme pressão nacional para que tivesse um filho do sexo masculino, o que a levou ter sérios problemas com estresse, de modo que passou a ser raramente vista pelo público.

Masako e seu marido, o Príncipe Naruhito / Crédito: Getty Images

 

Segundo o mesmo veículo, antes de engravidar de Aiko, a ex-diplomata chegou ter outra gravidez, mas, infelizmente, acabou sofrendo um aborto espontâneo.

Quem é o primeiro na linha de sucessão, AH?

Diante deste cenário, o primeiro na linha de sucessão ao trono é o irmão de Naruhito, Akishino.

Em entrevista à rede de televisão NHK, o caçula, hoje com 55 anos, chegou a declarar na época da coroação do novo imperador: "Tenho profunda responsabilidade pela coroa de príncipe e irei cumprir meus deveres". 


+Saiba mais sobre a história do Japão por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Marcha Para a Morte, de Shigeru Mizuki (2018) - https://amzn.to/2H3iLyB

Hiroshima e Nagasaki: 32 Curiosidades Sobre o Maior Bombardeio Atômico da História, de Editora Mundo dos Curiosos (ebook) - https://amzn.to/2Uwxs5i

História secreta da rendição japonesa de 1945: Fim de um império milenar, de Lester Brooks (2019) - https://amzn.to/2NYoWYq

História concisa do Japão, de Brett L. Walker (2017) - https://amzn.to/2RMhosT

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du