Matérias » Música

Assassinado ou vivo até hoje? Relembre os 5 crimes do mundo da música que ainda geram teorias

Casos misteriosos mesclaram a criminalidade com as melodias, adicionando muito mistério nas mortes de ídolos com milhares de fãs

Wallacy Ferrari Publicado em 17/08/2020, às 12h06

Algumas das personalidades listadas por mortes misteriosas na música
Algumas das personalidades listadas por mortes misteriosas na música - Wikimedia Commons

Com a projeção de artistas do mundo da música em escala internacional, os milhares de fãs angariados ao longo de suas carreiras impressionam pelo fanatismo e amor nas obras até os dias finais dos músicos, cantores, intérpretes e instrumentistas.

O problema, no entanto, é quando o tal dia final chega; a perda do ídolo, mal aceita ou esclarecida de maneira rasa, pode resultar em teorias malucas sobre sua despedida. Por isso, preparamos uma lista de crimes com artistas célebres que são discutidos até os dias atuais.

Confira agora os 5 crimes do mundo da música que ainda geram teorias:


1. Elvis Presley

Em 16 de agosto de 1977, o lendário Rei do Rock falecia com apenas 42 anos de idade em sua mansão de Graceland, em Memphis. Na manhã do mesmo dia, o cantor acorda, por volta das 10h00, e vai ao banheiro, sendo visto pela última vez com vida. A disfunção cardíaca do músico fez com que o coração sofresse um colapso fulminante repentino, causando seu falecimento na privada do banheiro.

Elvis posa para fotografia / Crédito: Wikimedia Commons

 

A versão, amplamente divulgada, não convenceu muitos fãs, que preferem acreditar que o músico cansou da exposição constante de sua vida pessoal e da abarrotada rotina de shows incompatíveis com seu estado de saúde e armou sua morte. Uma série de pessoas avistaram uma pessoa idêntica a Elvis, com uma aparência mais velha, em Michigan, no final da década de 1980, além da formação da Elvis Sighting Societies, uma sociedade que reúne provas de que o cantor não morreu.


2. Kurt Cobain

Em 5 de abril de 1994, a principal personalidade do movimento grunge, Kurt Cobain, tirava a vida após difíceis dias finais, recém-fugido de uma clínica de reabilitação e vivendo sozinho na sua casa em Seattle. Deitando uma espingarda em seu peito, apontou para a cabeça e efetuou o disparo deitado, no chão da sala. Seu corpo, encontrado no dia 8 por um homem que fazia manutenção dos cabos de TV por assinatura, estava acompanhado de uma carta de suicídio.

Cobain posa para fotografia / Crédito: Divulgação

 

Sua morte, no entanto, foi rodeada de mistérios; a chave para entrar em sua residência não foi encontrada pela polícia, o que deixou inconclusivo seu método de entrada no próprio apartamento. Além disso, teorias apontam que sua esposa, Courtney Love, teria sido a causadora da morte, tanto diretamente quanto de maneira indireta. Algumas pessoas atribuem o relacionamento tóxico do casal como a causa do suicídio, enquanto outras relacionam o misterioso episódio com um assassinato.


3. Tupac Shakur

O principal representante da Costa Oeste em uma das rivalidades mais sangrentas do rap estadunidense teve sofridos dias finais após a tentativa de assassinato, em 7 de setembro de 1996. No carro junto com o diretor executivo da gravadora Death Row, Suge Knight, o rapper foi atingido quatro tiros, morrendo seis dias depois no hospital da Universidade Médica de Nevada, com a preferência da família pelo desligamento de seus aparelhos.

Tupac posa para fotografia na capa do disco 'All Eyez on Me' / Crédito: Wikimedia Commons

 

Além do fato de que o assassino nunca foi identificado, o principal suspeito, Orlando Anderson, foi assassinado na prisão enquanto aguardava julgamento. O rapper Notorious B.I.G., com quem Tupac tinha uma rixa direta no rap, é constantemente associado ao crime, mas negou em vida, afirmando que “não era tão poderoso assim”. Suge Knight, que sobreviveu ao tiroteio, também é relacionado em uma teoria onde Tupac não quis cooperar com a gravadora.


4. Notorious B.I.G.

Menos de um ano após a briga musical com Tupac e a morte do rival, o representante da Costa Leste foi executado em condições semelhantes. Com o álbum pronto para ser lançado, o músico estava em um SUV quando um carro preto parou ao lado no farol vermelho, disparando quatro tiros no peito do músico, por volta da 00h45 de 9 de março de 1997, sendo declarado morto trinta minutos depois, ao chegar no hospital.

Notorious posa para fotografia / Crédito: Wikimedia Commons

 

Além de não ter sido encontrado, as características do carro e da personalidade que efetuou os disparos não foram localizadas durante a investigação, levantando a teoria de que, não apenas os criminosos teriam sido enviados pela vingança de Tupac, como a polícia não teria cooperado. Em 2011, buscando esclarecer a situação, o FBI tornou público os documentos da investigação, provando que o assassinato realmente foi inconclusivo para as autoridades.


5. Michael Hutchence

Fotografia de Michael Hutchence em plano retrato / Crédito: Wikimedia Commons

 

O galã australiano era líder do INXS e morava com a apresentadora Paula Yates em Londres, quando teve um colapso pela mistura de drogas, álcool e antidepressivos na noite de 21 de novembro de 1997, após se hospedar sozinho em um hotel. Na manhã do dia seguinte, uma camareira encontrou o cantor sem vida, enforcado com o próprio cinto preso à maçaneta da porta.

A misteriosa morte, no entanto, não foi concluída como um suicídio; apenas como asfixia, visto que diversas teorias relacionam entrevistas anteriores de Michael — e posteriores de Paula — de que sentia prazer com masoquismo e, por isso, teria tentado realizar asfixia autoerótica, técnica onde a circulação é voluntariamente interrompida para o alcance do orgasmo intenso.


+Saiba mais sobre música por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

O livro da música clássica, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2UXEqQy

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W