Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Civilizações

As principais civilizações da Idade Antiga

Esses povos deixaram importantes ensinamentos que são aplicados até hoje

Redação EdiCase Publicado em 03/12/2022, às 17h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Os egípcios desenvolveram-se às margens do rio Nilo - (Imagem: Shutterstock)
Os egípcios desenvolveram-se às margens do rio Nilo - (Imagem: Shutterstock)

Idade Antiga, ou Antiguidade, é o período que compreende a invenção da escrita (4 mil a.C.) até a queda do Império Romano (476 d.C.). Esse grande trecho da história é representado pela formação de muitas civilizações importantes. A seguir, conheça algumas delas.

Egípcios

Localizados no Nordeste da África, os egípcios desenvolveram-se às margens do rio Nilo. As enchentes desse rio proporcionaram terras férteis para a agricultura (algodão, linho, trigo) e para a pesca. O excedente de produção agrícola era comercializado dos desertos até o Mar Mediterrâneo. Quando não havia mais atividades nos campos, os camponeses trabalhavam para o faraó – pessoa que exercia o poder político e religioso no Egito – em obras públicas, canais de irrigação e templos.

Além do trabalho, outro ponto que marcou a civilização egípcia foi a religião. Os egípcios eram politeístas (crença em mais de um Deus) e acreditavam em vida após a morte. Esse último aspecto resultou na construção de grandes pirâmides e outros templos, locais estes em que vários faraós eram mumificados e seus ricos pertences eram confinados para a outra vida.

Essa sociedade deixou um importante legado na escrita, na ciência (aritmética, astronomia, medicina e química) e nas artes (arquitetura, escultura e pintura).

Mesopotâmicos

Uma estreita faixa de terra entre os rios Tigre e Eufrates formou a civilização mesopotâmica. Devido às enchentes dos rios, essa região apresentava uma fertilidade abundante, o que permitia o desenvolvimento da agricultura e a criação de animais.

Em relação à política, a sociedade mesopotâmica era dividida em várias cidades-estados, com governos próprios, mas com um único rei para todas elas. Assim como os egípcios, essa civilização também seguia uma religião politeísta.

Os mesopotâmicos deixaram como herança cultural os ensinamentos sobre irrigação, tecelagem, fabricação de joias e armas, além do primeiro código de lei da história.

Os hebreus habitaram as margens do rio Jordão (atual Israel e Palestina) (Imagem: Shutterstock)

Hebreus

Também chamados israelitas, ou judeus, eles habitaram as margens do rio Jordão (atual Israel e Palestina). Essa civilização era monoteísta, ou seja, acreditava em apenas um Deus, que seria Jeová. Através dos registros deixados ao longo dos anos, os hebreus se tornaram grandes influenciadores do atual Cristianismo e Islamismo.

A sociedade hebraica foi liderada por grandes figuras historicamente conhecidas, entre elas: Abraão, Moisés, Josué e os reis Saul, Davi e Salomão. Após diversos reinados gloriosos, as terras dos hebreus foram invadidas por diferentes povos, como assírios, babilônios e romanos. Os conflitos nessa região se estendem até hoje.

Fenícios

Por volta de 3000 a.C., os fenícios, na costa oriental do Mar Mediterrâneo, desenvolveram a principal rota comercial da Antiguidade. Além disso, eles foram responsáveis por apresentar ao Mundo Antigo os conceitos de construção naval, produção têxtil e metalúrgica.

A civilização fenícia era dividida em cidades-estados independentes, todavia era governada por um único rei. Em relação à religião, essa sociedade seguia crenças politeístas.

Persas

Os persas atingiram seus maiores domínios em 550 a.C., com a fundação do Império Persa, no qual o rei Ciro agrupou a Ásia Menor a toda Mesopotâmia. Outras conquistas dessa civilização foram o domínio do Egito pelo rei Cambises e o domínio da Ásia e da Europa pelo rei Dario I.

Apesar das grandes conquistas, o povo persa foi duramente derrotado pelo exército macedônico de Alexandre, o Grande. Essa derrota ocorreu na Batalha de Gaugamela, em 331 a.C., na qual a sociedade persa perdeu boa parte dos seus 8 milhões de km² de territórios.

Os persas foram responsáveis por desenvolver a reforma administrativa e uma economia baseada no comércio. Além disso, eles deixaram como herança cultural seu grande estilo artístico.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!