Matérias » Curiosidades

Como mais de 100 pessoas afirmaram ser o filho de Maria Antonieta

Depois do secreto enterro, mais de 100 homens já afirmaram ser Louis-Charles da França

Daniela Bazi Publicado em 23/11/2019, às 13h41 - Atualizado às 13h42

A morte de Louis-Charles da França deu vida a uma série de impostores
A morte de Louis-Charles da França deu vida a uma série de impostores - Wikimedia Commons

Louis-Charles da França, filho de Luís XVI de França e Maria Antonieta, se tornou o herdeiro do trono francês aos quatro anos de idade após a morte de seu irmão, Louis-Joseph, em 1789.

Com a queda de sua família após a Revolução Francesa, e a execução de seus pais em 1793, o jovem Louis de apenas oito anos foi mandado para a prisão no Templo de Paris, onde foi abusado, negligenciado e isolado. Louis-Charles faleceu no dia 8 de junho de 1795 de tuberculose, aos dez anos, nos braços de um de seus carcereiros.

A família na prisão, em 1792. / Créditos: Getty Images

 

Após a sua morte, o governo revolucionário rapidamente entrou em ação. O doutor Philippe-Jean Pellatan fez uma autópsia detalhada no corpo do garoto e encontrou evidências físicas do abuso que teria sofrido. Com a autópsia completa, o cadáver foi secretamente enterrado em uma cova no Cemitério Santa Marguerita.

Anos após o misterioso enterro, dezenas de homens apareceram afirmando ser o jovem príncipe. Eles estavam a procura de sua irmã, Maria Teresa, Duquesa de Angoulême. Desde a libertação do cativeiro, em dezembro de 1795, Maria Teresa sofreu com o mistério sobre o que teria acontecido com seu irmão mais novo até a sua morte, 50 anos depois.

Retrato de Maria Teresa da França, Duquesa de Angoulême. / Créditos: Getty Images

 

O diplomata austríaco Baron von Thugut relatou que não existe uma confirmação real ou legal de que a criança estaria morta. “Sua morte, até hoje, não tem outra prova além do anúncio de Moniteur, junto com um relatório elaborado com a ordem de bandidos da Convenção, e por pessoas cujo testemunho é baseado em fatos de que estavam presentes com o corpo de uma criança morta que lhes foi dito ser o filho de Luis Capet”.

Eventualmente, mais de 100 pessoas afirmaram ser o herdeiro do trono. Um dos nomes que ficaram famosos era o de Charles-Guillaume Naundorff. Ele foi motivado pela possível restauração da casa Bourbon, onde o mesmo reivindicaria o trono da França, além de riqueza, fama e adulação.

O primeiro apareceu apenas 3 anos após a morte do Delfim. Era um belo adolescente que foi encontrado nas proximidades do local da prisão, e por meses se recusou a dizer quem era, mas disse então pertencer a uma casa ducal que não existia mais. Por esse motivo, inúmeros habitantes ficaram convencidos de que o jovem seria realmente Louis-Charles.

Desde então, apareceram impostores na Inglaterra, Dinamarca, Itália, onde em 1834 o Barão de Richemont afirmou em corte ser o príncipe, e nos Estados Unidos, em que o mais famoso é um nativo americano chamado Eleazer William - havia sido pago por um nobre francês e generosamente concordou em abdicar do trono.

Os impostores eram influenciados principalmente pelo fato de que Louis se recusava a falar em seus últimos dias. Além disso, as pessoas que conheciam o garoto nunca mais o encontraram após a prisão. 

Com o grande número de impostores surgindo na França afirmando ser o herdeiro do trono, a falsa afirmação passou a ser ilegal no país. Um homem chamado Charles de Navarre, que voou de Nova Orleans para a França e afirmou em corte ser o Delfim chegou a ser preso em 1817 - e morreu na cadeia.


+Saiba mais sobre a história através as obras abaixo

Maria Antonieta: Retrato de uma mulher comum, Stefan Zweig (2013)

Link - https://amzn.to/2KHdZcn 

O Livro Negro da Revolução Francesa, Renaud Escande (2015)

Link - https://amzn.to/2Oa7Fwb

Revolução Francesa: o povo e o rei (1774-1793) - Volume 1, Max Gallo (2009)

Link - https://amzn.to/2O7xs80

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.