Matérias » Pré-História

Análise evolutiva de dentes de neandertais indicam divergência bem mais antiga com os seres humanos

Segundo o estudo morfológico de diversos dentes, pesquisadores confirmam que nos separamos dos neandertais há 800 mil anos

André Nogueira Publicado em 16/05/2019, às 17h00 - Atualizado às 19h00

Neandertais
Neandertais - Reprodução

Segundo a análise evolutiva da morfologia dos dentes de Neandertais primitivos, feita pela UCL (universidade inglesa), é possível agora afirmarmos que a espécie e os seres humanos divergiram em clados diferentes há cerca de 800 mil anos. Datação muito mais antiga do que as informações retiradas previamente de analises baseadas em DNA.

A nova análise passou pela localização na cadeia evolutiva de uma série de dentes de diversas espécies de hominíneos , com foco nos primeiros neandertais. O material retirado de Sima de los Huesos, sítio localizado na Espanha, de ancestrais diretos dos Neandertais do Pleistoceno Médio, aponta divergência da linhagem moderna de homo sapiens mais cedo do que já se tivesse pensado.

Arcada superior de neandertal / Crédito: Reprodução

 

A morfologia dos dentes, para serem da maneira como são, exigiriam mais tempo que o antes concebido para a evolução dos Neandertais, a não ser num caso improvável de mutação superacelerada.

As análises de DNA geralmente indicam a divergência das duas linhagens a partir de um ancestral comum de cerca de 300 ou 500 mil anos. Pelo menos 300 mil anos depois da datação concluída pela pesquisa em Simo de los Huesos. Esses dados costumam influenciar diretamente a interpretação dos fósseis de hominineos.

O estudo tem implicações significativas para a identificação das últimas espécies ancestrais comuns de Homo sapiens com os Neandertais, pois permite excluir todos os grupos após a data de 800 mil anos atrás.