Matérias » Curiosidades

Visite o zoológico da rainha Elizabeth I. O ingresso? seu pet

Durante o século 19, no zoo da rainha, os pobres que não podiam pagar ingresso encontraram uma insólita solução

Thiago Lincolins Publicado em 18/08/2019, às 11h00

Celebração de aniversário 25 anos de Zoo Stellingen perto de Hamburgo. 8 de maio de 1932
Celebração de aniversário 25 anos de Zoo Stellingen perto de Hamburgo. 8 de maio de 1932 - Crédito: Getty Images

Até a invenção do zoológico moderno, no século 19, havia as ménageries: coleções particulares de animais, de preferência exóticos: elefantes, leões, ursos, camelos...

Num gesto à frente de seu tempo, Elizabeth I decidiu abrir sua coleção ao público, cobrando por ingresso. Mas havia dois impedimentos para tornar o empreendimento um sucesso: os pobres não tinham como pagar e era realmente caro manter os animais, particularmente os leões. 

A solução foi aceitar um ingresso alternativo: gatos e cachorros. Que iam para a pança dos leões. 

A ideia da ménagerie surgiu quando os monarcas começaram a dar animais raros e exóticos como presente uns aos outros. Um desses foi o rei Henrique III que, em 1235, ficou encantado ao receber três leopardos de presente do imperador Romano-Germânico Frederico II. O lugar escolhido era a Torre de Londres, a residência real. Que não é uma torre, mas um castelo. 

Os animais foram mantidos na torre até o final do século 18. Muitos passaram a definhar por falta de cuidados. Os que viveram foram transferidos para o Zoológico de Londres, inaugurado em 1828, e outros foram enviados para o Zoológico de Dublin, na Irlanda. O zoo da torre seria fechado apenas em 1835, sob as ordens do duque de Wellington, na época, Condestável da Torre.

Hoje, quem visita a torre, encontra esculturas feitas em arame pela artista britânica Kendra Haste. Elas homenageiam os animais que lá viveram e foram colocadas no exato lugar onde os bichos eram aprisionados.


Saiba Mais

New Worlds, New Animals: From Menagerie to Zoological Park in the Nineteenth Century, Robert Hoage & ‎ William Deiss