Matérias » Bizarro

Jim Springer e Jim Lewis: a saga dos gêmeos separados que tiveram vidas idênticas

Separados na adoção, eles se reencontraram depois de adultos e descobriram uma quantidade bizarra de semelhanças entre suas vidas

Ingredi Brunato Publicado em 23/08/2020, às 13h00

Jim Springer e Jim Lewis quando foram em talk show nos Estados Unidos. Para não dizer que não tinham nenhuma diferença, eles usavam penteados diferentes.
Jim Springer e Jim Lewis quando foram em talk show nos Estados Unidos. Para não dizer que não tinham nenhuma diferença, eles usavam penteados diferentes. - Divulgação/Youtube

Em 1939, em Ohio, nos Estados Unidos, nasceram dois bebês idênticos. E embora gestações de gêmeos já sejam um episódio incomum por si só, as vidas desses dois irmãos, especificamente, estava prestes a desafiar os limites da improbabilidade. 

Os gêmeos foram dados para o sistema adotivo norte-americano, e adotados por famílias diferentes: os Springer e os Lewis. Os dois casais, mesmo não se conhecendo, acabaram tomando a mesma decisão de nome para seu bebê recém-chegado: James, com o apelido Jim.

Anos depois, em 1977, Jim Lewis resolveu que queria conhecer seu irmão gêmeo, e conseguiu os dados de contato do outro Jim em um tribunal em Ohio. Após dois anos e algumas breves conversas por telefone, eles, afinal, marcariam seu primeiro encontro. 

Jim Springer e Jim Lewis tinham ambos 1,80 de altura, e pesavam 82 quilos. Possuíam ambos sorrisos assimétricos e suas vozes eram indiferenciáveis. As semelhanças físicas, apesar de esperadas até certo ponto, dado que eram gêmeos idênticos, já ofereceram alguma surpresa. Porém, esse foi apenas o início das coincidências que eles estavam prestes a identificar um sobre o outro. 

Coincidências intermináveis 

De acordo com uma matéria do New York Times em 1979, os Jim exerciam o mesmo emprego. Ambos eram donos de oficinas de marcenaria, e nos dois casos, essas oficinas ficavam na garagem deles.

As esposas deles tinham o mesmo nome: Betty. Mas não só isso, como a ex-esposa deles também tinham o mesmo nome, Linda, embora não tenha dado muito certo com nenhum dos dois, e não demorou muito para que cada um se divorciasse de sua respectiva Linda. 

Parecia que os gêmeos tinham recebido o mesmo script de vida por acidente, ou como se fossem a mesma pessoa. Eles moravam a apenas 70 quilômetros um do outro, e é difícil decidir se o mais extraordinário é que eles tenham se encontrado, ou que eles poderiam jamais se encontrar, morrendo um dia sem que suas vidas duplicadas nunca tivessem sido descobertas. 

Para ficar ainda mais estranho 

Os paralelos entre Jim Springer e Jim Lewis se estendiam também a seus hábitos. Os gêmeos fumavam muito, preferindo inclusive cigarros da mesma marca. Aliás, também preferiam cervejas da mesma marca. 

Ambos tinham as unhas roídas até o sabugo, e gostavam de projetos de carpintaria doméstica. Também eram românticos. Seus gostos também se revelavam em outras escolhas de vida, como o fato de possuírem o mesmo carro: marca Chevrolet, cor azul-clara.

Importância ciêntífica 

Jim Springer e Jim Lewis participaram mais tarde de um estudo realizado por um psicólogo chamado Dr. Thomas Bouchard, que os descobriu após os gêmeos ganharem a atenção da mídia. 

Bouchard estudou diversos pares de gêmeos durante as duas décadas seguintes, para buscar entender o quanto de nossas vidas é ditada pelo nosso código genético, uma pesquisa que envolvia o conceito estatístico chamado de heritabilidade. 

O pesquisador descobriu uma relação entre condições de vida, código genético e inteligência, porém disso para explicar as trajetórias de vida dos gêmeos Jim é outra história. Destino ou coincidência, o fato é que Jim Springer e Jim Lewis viveram algo único - que se repetiu tanto para um quanto para outro. 

É claro que houveram críticos da história, especialmente depois dela ter se tornado pública, dizendo que os detalhes deviam estar sendo exagerados. No entanto, para Nancy Segal, uma parceira de pesquisa de Bouchard, narrativa dos gêmeos parecia verdadeira, com suas semelhanças sendo realmente impressionantes. "Eu os conheci cerca de um ano depois de se reunirem, e eles eram absolutamente genuínos", afirmou ela, segundo a National Geographic.  


+Saiba mais sobre gêmeos por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

The Lives of Chang and Eng: Siam's Twins in Nineteenth-Century America, de Joseph Andrew Orser (2014) - https://amzn.to/3h7UeZH

Inseparable: The Original Siamese Twins and Their Rendezvous with American History , de Yunte Huang (2018) - https://amzn.to/2Q2j40S

A vida sexual das gêmeas siamesas, de Irvine Welsh (2016) - https://amzn.to/3g80QWB

Chang and Eng, de Darin Strauss (2000) - https://amzn.to/2Q4sMjr

Chang and Eng Reconnected: The Original Siamese Twins in American Culture, de Cynthia Wu (2012) - https://amzn.to/2Q13y5F

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W