Matérias » Personagem

A mira letal de Ivan Sidorenko, o atirador de elite do Exército Vermelho

Sidorenko tinha a pretensão de ser um grande pintor, entretanto, com o começo da Segunda Guerra, largou o sonho para derrotar nazistas

Paola Churchill Publicado em 07/06/2020, às 08h00

Imagem do atirador Ivan Sudokonko
Imagem do atirador Ivan Sudokonko - Wikimedia Commons

A carreira que Ivan Sidorenko queria seguir em sua vida era no mundo da arte. Vindo de uma família muito pobre de Smolenks, na Rússia, o jovem abandonou os seus estudos na escola para seguir sua vocação no mundo artístico em um renomado curso na cidade de Penza.

Esteve focado em seu objetivo até 1939, quando trocou as telas e pincéis por balas e armas. Isso porque ele mesmo se alistou para o Exército Vermelho com o objetivo de proteger o seu país dos ataques nazistas.

Ivan sabia que tinha um talento único para o mundo da arte no geral, mas, todos ficaram impressionados com sua aptidão com armas. Quanto mais o soldado praticava, mais letal ficava sua mira.

Os comandantes ficaram impressionados com o seu talento e após pouco tempo nos campos de batalha, os oficiais promoveram Sidorenko para participar do grupo seleto dos atiradores de elite.

Ivan Sidorenko foi um dos mais letais atiradores soviéticos/Crédito: Wikimedia Commons

 

Se tornar um atirador de elite é uma grande honra para qualquer soldado. Esse grupo, além de seleto, costuma agir sozinho nas missões. Os atiradores também são considerados letais pelo exército inimigo. 

Feitos durante a Guerra

Independente dos registros oficiais, os relatos de outros soldados que lutaram lado a lado com Ivan mostram que o atirador era realmente eficaz. Uma vez, explodiu sozinho um caminhão tanque alemão, impedindo o avanço das tropas inimigas.

Ivan Sidorenko em batalha/Crédito: Wikimedia Commons 

 

O lema do combatente era “um tiro, uma morte” e ele parecia levar isso muito a sério. Mas, nem os mais talentosos dos soldados conseguem sair ileso dos perigos do campo de batalha. Apesar de seu talento nato, ele quase foi morto em combate na Estônia. Como consequência, os oficiais decidiram que Sidorenko se tornaria professor de uma nova geração de atiradores de elite, afinal era uma chance de desenvolver grandes atiradores.

Ivan passou o resto de sua carreira militar treinando pessoas para defender o seu país, estima-se que o combatente tenha treinando mais de 250 jovens a serem igual a ele. Em junho de 1944, Sidorenko recebeu o título de Herói da União Soviética, por seus serviços prestados à nação. Sentiu que sua missão fora concluída com sucesso.

Com o fim da guerra, em 1945, se aposentou do serviço militar e passou a viver uma pacata vida como capataz de uma mina de carvão, até o final da sua vida. Ivan morreu aos 74 anos, em 1994 e até hoje ele é um marco da resistência soviética ao exército alemão.

Não se sabe, ao certo, a quantidade de pessoas que morreram nas mãos de Sidorenko, —  não existem registros oficiais de seus feitos. Contudo, estima-se que o número de vítimas ultrapasse 500 soldados inimigos. 


+Saiba mais sobre a Segunda Guerra Mundial pelas obras abaixo

1. O Terceiro Reich em Guerra, de Richard Evans - https://amzn.to/34DO0Kb

2. A Segunda Guerra Mundial: Os 2.174 dias que mudaram o mundo, Martin Gilbert - https://amzn.to/34FofZY

3. Memórias da Segunda Guerra, de Winston Churchill - Memórias da Segunda Guerra

4. O Essencial da Segunda Guerra Mundial, de Dimas Cruz de Oliveira - https://amzn.to/36HabRv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W