Matérias » Personagem

A morte de Naya Rivera: entenda a tragédia que teve novos desdobramentos

Em julho de 2020, a estrela do seriado Glee morreu, aos 33 anos, após um passeio de barco que fazia com seu filho

Penélope Coelho Publicado em 19/11/2020, às 11h52

Memorial de Rivera no Lago Piru
Memorial de Rivera no Lago Piru - Wikimedia Commons

Nascida em 12 de janeiro de 1987, nos Estados Unidos, Naya Marie Rivera demonstrava desde muito nova o desejo de ser atriz. Pensando nisso, a menina iniciou sua carreira, ainda criança, atuando em comerciais de televisão.

Aos quatro anos de idade, fez sua estreia em um sitcom do canal CBS, mas, foi no seriado musical Glee — interpretando a personagem Santana Lopez, entre 2009 e 2015 —, que Naya se tornou uma verdadeira estrela.

Triste fim

Dentre as inúmeras tragédias que marcam 2020 — como a pandemia do novo coronavírus —, esse também foi o ano da morte inesperada da atriz. Tudo começou com um passeio que parecia inofensivo.

Naya em 2010 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 8 de julho, Rivera decidiu levar seu filho Josey, de quatro anos, para passear de barco e nadar no Lago Piru, local próximo a sua casa na Califórnia. Nesse dia, a mãe de Naya, Yolanda Previtire, esperava que a filha voltasse durante à tarde para um churrasco que ela havia combinado com a família, contudo, a mulher não apareceu.

Sem notícias, as buscas pelo paradeiro da atriz e da criança começaram. Por volta das 17h daquele dia, o pequeno Josey foi encontrado usando colete salva-vidas, sozinho e dormindo no barco que havia sido alugado pela artista.

Quando questionado pelas autoridades, o menino afirmou que ele e sua mãe pularam na água para nadar um pouco, mas, rapidamente, ela pediu para que ele voltasse para a embarcação. Depois disso, o garoto tentou ajuda-la, mas Naya emergiu e desapareceu embaixo d’água. De acordo com Josey, a atriz não usava colete de proteção. No mesmo dia, Rivera foi dada como desaparecida.

Foram longas buscas na região, envolvendo equipes de mergulhadores e equipamentos especiais, até que cinco dias depois, em 13 de julho, um corpo sem vida foi encontrado no Lago. Não demorou muito para que as autoridades revelassem que tratava-se de Naya Rivera.

O laudo informou que a atriz morreu ‘em segundos’ no dia 8 daquele mês, além disso, o documento revela que a causa do falecimento foi ‘afogamento acidental’, descartando hipóteses de intoxicação por drogas.

A morte repentina da estrela — que tinha somente 33 anos de idade — gerou diversas mensagens de homenagens nas redes sociais vindas de todas as partes: fãs do seriado Glee, atores que trabalharam ao lado de Naya e a comunidade artística no geral lamentaram a perda.

Lago do Piru em fotografia tirada no ano de 2009 / Crédito: Wikimedia Commons


O funeral da atriz ocorreu em 24 de julho e contou com a presença de familiares e amigos, no cemitério Forest Lawn Memorial Park, em Glendale, Los Angeles.

Polêmicas recentes

Depois da morte de Rivera, os admiradores de seu trabalho iniciaram protestos para que as autoridades locais emitissem sinais de alerta sobre os perigos de se nadar no Lago Piru.

Esse foi um dos motivos que levou o ex-marido de Naya, o ator RyanDorsey, (pai de Josey) a decidir recentemente abrir um processo contra o condado de Ventura, na Califórnia, Estados Unidos, e também contra os administradores do Lago Piru.

De acordo com reportagem da BBC, Dorsey abriu uma ação por homicídio culposo, alegando que os visitantes do local não são alertados sobre os perigos do lago, além disso, ele também afirma que o barco que havia sido alugado pela ex-esposa não estava “equipado com escada de acesso seguro, corda adequada, âncora, rádio ou quaisquer mecanismos de segurança para evitar que os nadadores se separassem de seus barcos". 

Nessa discussão, o homem também traz à tona o fato de que pelo menos 26 pessoas já morreram afogadas no local, desde que o mesmo foi aberto ao público. Até o momento em que essa matéria foi escrita, as autoridades da região não comentaram a decisão de Ryan


+Saiba mais sobre Hollywood por meio das obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W