Matérias » Brasil

Há 30 anos, eram realizadas as primeiras eleições após o fim da ditadura militar brasileira

Depois de anos de regime militar, o país se via no meio de uma redemocratização, com diversos partidos e um povo querendo votar

Pamela Malva Publicado em 15/11/2019, às 08h00

Lula e Collor em debate presidencial
Lula e Collor em debate presidencial - Wikimedia Commons

Com a política nacional-desenvolvimentista de Jango de um lado e o medo da ameaça comunista de outro, o ano de 1964, no Brasil, foi bastante turbulento. Abusando do discurso de defesa da família e do cristianismo, foi fácil para os militares conquistar a confiança e o apoio do povo. Instaurou-se, então, a ditadura civil-militar brasileira no final de abril.

Depois disso, foram 21 anos de regime, caracterizados por políticas de censura, atos institucionais, torturas e, como consequência, uma lista enorme de mortos e desaparecidos. Tamanha truculência não foi bem vista pela população, que, em 1983, começou a pedir por Diretas Já. Então, em 1985, em uma vitória parcial, o povo brasileiro viu o primeiro presidente entrar no poder.

[Colocar ALT]
Tancredo Neves / Crédito: Wikimedia Commons 

Tancredo Neves foi eleito em janeiro, mesmo que indiretamente, pelo Colégio Eleitoral. Não era a redemocratização que os brasileiros imaginavam e tanto pediam, mas a volta de um presidente eleito, as promessas de recuperação econômica e o fim da ditadura pareciam promissores.

A saúde do presidente, no entanto, não permitiu que ele realmente entrasse no poder. Um dia antes da cerimônia de posse, Tancredo foi internado. Devido a complicações, ele morreu em abril de 1985. Assim, seu vice, José Sarney, também eleito pelo Colégio, assumiu a presidência, no dia 15 de março.

 

 

 

Pouco tempo depois, em maio, o Congresso Nacional aprovou uma constituinte que acabava com os últimos resquícios do regime militar. Entre as medidas aprovadas estavam a eleição direta com voto popular para presidente e o direito ao voto para os analfabetos.

A ELEIÇÃO DE 89

Com o final do mandato de Sarney logo na esquina, as eleições populares estavam cada vez mais perto. O pluripartidarismo já era uma realidade no país desde 1979 e diversos políticos entraram na corrida pela presidência.

Liderando o primeiro turno, Fernando Collor (PRN), disputou o segundo turno com Luis Inácio Lula da Silva (PT). No final, com 50,01% dos votos e uma campanha impressionante — já que, no começo, tinha apenas 5% das intenções —, Collor foi o primeiro presidente eleito a voto popular no Brasil redemocratizado.

O novo mandante assumiu a liderança do país com quarenta anos, se tornando o mais jovem político a assumir esse cargo na história das Américas. Seu vice, Itamar Franco, viria a ser o próximo presidente, sucedendo Collor, que sofreria um impeachment em 1992.


Saiba mais sobre a Ditadura Brasileira através dos livros abaixo

Ditadura à brasileira: 1964-1985 a democracia golpeada à esquerda e à direita, Marco Antonio Villa (2014)

link - https://amzn.to/2QkQjy6

Relampejos do Passado: Memória e Luto dos Familiares de Desaparecidos Políticos da Ditadura Civil Militar Brasileira, Amanda Brandão Ribeiro (2017)

link - https://amzn.to/2pjo87z

A Ditadura Brasileira em Dois Golpes. 1961-1964, Daniel de Mendonça (2017)

link - https://amzn.to/2Og0X6i

1964: história do regime militar brasileiro, Marcos Napolitano (2014)

link - https://amzn.to/32T5IIE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.