Matérias » Grécia Antiga

Sexo na Grécia Antiga: masturbação, homossexualidade e dominação masculina

Analisando tanto a própria sociedade grega quanto seus mitos, é possível perceber como a prática sexual era vital aos antigos

Isabela Barreiros Publicado em 16/01/2020, às 18h36

Diana e Actaeon, pintura de Ticiano
Diana e Actaeon, pintura de Ticiano - Wikimedia Commons

A mitologia grega é carregada de teor sexual. A sexualidade de deuses e heróis antigos é, frequentemente, tema de muitas das histórias narradas nos mitos da Grécia. Em alguns momentos, ela pode ser tratada de maneira quase progressista quando, por exemplo, a masturbação é vista como natural; mas também pode ser conflituosa, com os estupros cometidos por Zeus, o maior dos deuses.

O historiador Paul Chrystal, entusiasta do assunto, coletou informações e organizou-as no livro In Bed with the Ancient Greek (Na Cama com os Gregos Antigos, em português). Na obra, ele narra os costumes sexuais da civilização antiga, que são tão peculiares quanto reveladores.

Cerâmica grega com cena sexual / Crédito: Getty Images

 

Na Grécia Antiga, a masturbação era tratada com normalidade, sendo considerada natural entre todas as pessoas. Eles acreditavam ainda que ela poderia ser um substituto ao sexo entre duas pessoas, considerada, assim, uma “válvula de segurança contra a frustração sexual”. O autor acredita que é por ser uma prática comum que a masturbação não estava tão presente na literatura da época.

A homossexualidade também era um fator comum à sociedade grega. Existiam lendas sobre a origem da sexualidade, especificamente no que diz respeito à relação entre homens adultos e jovens. Acreditava-se que Orfeu, poeta e músico da mitologia grega, apaixonou-se por um adolescente depois da morte de sua mulher.

Aristocrata e jovem gregos / Crédito: Wikimedia Commons

 

Esse tipo de relacionamento — entre um homem adulto e um jovem — levava o nome de pederastia. Na verdade, também poderia ser classificada como pedofilia, visto a diferença de idade entre os dois.

Em um dos rituais praticados pelos cretenses, um homem da aristocracia da região realizaria um “sequestro ritualístico”. Com o consentimento do pai do garoto, ele seria levado para o deserto, onde passaria muito tempo com seu “filetor” (“amigo”), aprendendo a caçar, entre outras habilidades, e também realizando festas com outros amigos do aristocrata. Ficaria subentendido que o sexo entre os dois fazia parte do ritual.

Outro ponto importante analisado por Paul Chrystal é a violência intrínseca à vida sexual de Zeus, o pai de todos os deuses. Os comportamentos arrogantes e autoritários podem ser observados nos inúmeros estupros cometidos por ele. Leda, filha do rei etólico Testius, Danae, uma princesa de Argos e Ganímedes, príncipe de Troia, foram algumas das vítimas do poderoso e dominador deus.

A partir dessas narrativas, é possível dizer que muito do pensamento sexista da sociedade daquele período ficava explícito na forma com que Zeus afirmava domínio sobre mulheres, em poucas vezes fazendo-o com homens.

A prostituição também era regulamentada na região. Tanto mulheres quanto homens tinham sua atividade legalizada e eram obrigados a pagar uma taxa mensal fixa, — ainda podendo ser chamados de impostos —, ao Estado grego.

Crédito: Wikimedia Commons

 

Ainda na mitologia grega, a figura do sátiro também carregava um enorme teor sexual. Normalmente representados com pênis ereto, o metade humano metade bode era visto como um grande masturbador. Acreditava-se ainda que eles estavam mais propensos a cometerem estupros, sodomias e necrofilias. 


+ Saiba mais sobre o tema por meio das obras a seguir:

In Bed with the Ancient Greeks (English Edition), Paul Chrystal (2016) - https://amzn.to/2FYl9pP

In Bed with the Romans (English Edition), Paul Chrystal (2015) - https://amzn.to/2TuawTv

Sexuality in Greek and Roman Culture (Ancient Cultures) (English Edition), Marilyn B. Skinner (2013) - https://amzn.to/2uan9bF

Amor, Sexo e Casamento na Grécia Antiga, N. Vrissimtzis (2002) - https://amzn.to/376IlhG

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.