Matérias » Personagem

O último suspiro do camaleão: Neste dia, em 2016, morria David Bowie

O astro do rock travou uma árdua batalha contra o câncer

Thiago Lincolins Publicado em 10/01/2021, às 00h00

Memorial ao astro após a sua morte
Memorial ao astro após a sua morte - Getty Images

O dia 10 de janeiro de 2016 trouxe uma triste notícia para os fãs de David Bowie. Aos 69 anos, o icônico cameleão da música deu seu último suspiro. Na época, fora relatado que o artista travava uma exaustiva luta contra o câncer no fígado durante 18 meses.

O garoto que se tornaria um dos maiores nomes da música nasceu em Brixton, Londres. DavidRobert Jones tinha um talento único. Aos 13 anos já tocava saxofone, contudo, optou por deixar a escola ainda na adolescência.

Foi com Space Oddity que começou a dar as caras para o mundo da música no ano de 1969. Contudo, foi em 1972 que demonstrou que se destacava na indústria musical. O artista lançou The rise and fall of Ziggy Stardust and the spiders from Mars. Mas o que fez esse disco se destacar?

Bom, é apresentada ao público a saga de Ziggy Stardust, um ser de outro mundo que é andrógino e bissexual e acaba se tornando um astro do rock. O disco já mostrava ao mundo o seu apreço por ficção científica. E foi assim que o mundo passou a se encantar pelo trabalho do jovem.

Com uma voz que se destacava entre a concorrência, David também marcou presença nas telonas. Ao trabalhar com Nicolas Roeg, participou da obra cinematográfica O Homem que caiu na Terra, de 1976. E não acabou aí. O artista acabou parando na Broadway ao viver o famoso Homem Elefante (trava-se de Joseph Merrick, que viveu com uma condição rara durante a Era Vitoriana).

Bowie durante performance em 2003 /Crédito: Getty Images

 

Contudo, o que eternizou Bowie na história da música foi toda a sua presença ao dar vida aos hits Let's Dance, Heroes, Under Pressure e Space Oddity. Afinal, quem nunca se acabou de dançar ao escutar a parceria do astro com a banda Queen?

Bowie foi além. Através do talento também fincou seu nome como produtor fonográfico e até mesmo ícone da moda com roupas extravagantes e uma imagem que o destacava no meio de outras vozes do mercado musical.

Entretanto, foi essa carreira que deixou os fãs com um gostinho de quero mais em 2004, quando foi submetido a uma cirurgia cardíaca urgente. Longe dos holofotes, David deixou os fãs agoniados pela volta triunfal. Contudo, seu último momento de glória no palco aconteceu no ano de 2006, na cidade de Nova York, quando se apresentou num show beneficente.

Felizmente, estava vivo quando presenciou o lançamento de Blackstar, disco que foi aclamado pela crítica ao conquistar uma nota 87 de 100 no Metacritic, chart que contabiliza notas de críticas realizadas por veículos especializados. 

O astro em Londres no ano de 2003 /Crédito: Getty Images

 

Na época, o dia final do artista, que já havia vendido milhões, foi anunciado nas redes sociais. A informação fora confirmada pelo filho à BBC.

"David Bowie morreu em paz hoje cercado por sua família após uma corajosa batalha de 18 meses com câncer. Enquanto muitos de vocês vão compartilhar essa perda, nós pedimos que respeitem a privacidade da família durante o seu tempo de luto", dizia a melancólica mensagem.