Matérias » Música

“Voavam faíscas”: as calorosas disputas de Freddie Mercury e David Bowie nos estúdios

O encontro do Queen com o Camaleão do Rock foi regado a drogas e brigas constantes entre as duas estrelas que queriam ter a palavra final em tudo

Isabela Barreiros Publicado em 20/11/2020, às 08h00

Freddie Mercury e David Bowie, respectivamente
Freddie Mercury e David Bowie, respectivamente - Getty Images - Wikimedia Commons

Duas das figuras mais importantes da música, David Bowie e Freddie Mercury se conheceram antes mesmo de serem famosos artistas. Os dois se encontraram pela primeira vez em 1969, quando o Camaleão do Rock ainda era desconhecido no mundo da música e estava fazendo um pocket show na Ealing Art College, em Londres.

Antes da apresentação, ele encontrou Freddie, que ainda não era nem ao menos cantor e o ajudou a carregar seus instrumentos para o loca. Curioso e interessado em música, o jovem também construiu, junto a ele, um palco improvisado para que o pequeno show pudesse começar.

Anos e muito sucesso depois, os artistas se encontraram novamente, mas não se deram tão bem quanto da primeira vez. As diferenças musicais e de estrelato entraram no caminho da relação, fazendo com que os cantores tivessem muitas divergências, principalmente no momento de produzir uma música. 

Quando o Queen estava gravando o décimo álbum de estúdio, o icônico Hot Space, eles decidiram pelo Mountain Studios, em Montreux, na Suíça. Todavia, a banda não era única no local — lá estava ninguém mais, ninguém menos, que o Camaleão do Rock.

Freddie Mercury durante concerto do Queen / Crédito: Getty images

 

Em 1981, Bowie estava gravando a canção tema do seu próximo filme, Cat People (Putting Out Fire). Não durou muito tempo até que eles decidissem fazer contribuições pontuais nas canções em questão. A ideia inicial era que o cantor fizesse vocais de backup na música Cool Cats do Queen. Mas sua participação no Hot Space não foi reduzida a isso.

No livro, Is This the Real Life?: The Untold Story of Freddie Mercury and Queen, o jornalista britânico Mark Blake entrevistou alguns dos integrantes da banda para conseguir remontar o cenário da parceria entre eles nas mentes dos leitores. E, sim, foi tão louco quanto parece.

O baterista Roger Taylor relatou como tudo começou: “David chegou uma noite e estávamos tocando as músicas de outras pessoas por diversão, apenas tocando… no final, David disse: 'Isso é estúpido, por que não escrevemos uma [música]?'”. É aí que começa a história da brilhante faixa Under Pressure.

O episódio, como era de se esperar, estava regado de drogas e álcool — além de brigas constantes entre Bowie e Mercury. Vinho, cocaína e a competição entre os dois cantores pelo vocal principal da música marcaram a parceria entre a banda de rock e o icônico Camaleão.

David Bowie / Crédito: Getty Images

 

Eles nem sabiam como todo o processo ia começar, de fato. Em uma entrevista durante programa de rádio Ultimate Classic Rock Nights, Brian May, guitarrista do Queen, contou a Uncle Joe Benson mais detalhes sobre a experiência: "Fomos lá [no estúdio] com uma folha em branco".

Mas a situação era praticamente um campo de batalha: uma tensa disputa entre quem controlaria o rumo das coisas. No final, foi Bowie quem tomou a maioria das decisões, para o desgosto de Mercury.

Para além do vocalista do Queen, os outros integrantes também estavam incomodados com a “supremacia” das vontades artísticas do outro. “Lembro-me de David Bowie estendendo a mão para John e dizendo: 'Não, não faça assim' e John dizendo: 'Com licença? Eu sou o baixista, certo? É assim que eu faço! '”, relembrou May.

Freddie e David se chocaram, sem dúvida.  Mas foi quando as faíscas voaram e foi por isso que ficou tão bom”, disse o artista em entrevista ao Daily Sunday Express. “Não foi fácil porque todos nós éramos garotos precoces e David era muito… Radical, eu diria. Freddie e David se enfrentaram sem dúvidas. Mas tudo isso aconteceu em estúdio, era quando voavam faíscas, e por isso que ficou tão bom.”

“Eles brigavam bem sutilmente, tipo quem chegaria por último no estúdio. Então era maravilhoso e horrível. Mas, na minha cabeça, agora lembro mais como incrível do que como terrível”, disse.

Outra questão que marcou a banda foi a decisão do nome da canção. Segundo o guitarrista, a música inicialmente se chamava People on the Streets, mas "isso durou um dia e meio provavelmente". Under Pressure foi a decisão final de Bowie.

"Os vocais foram construídos de forma bem inovador, que vieram do David, porque ele tinha experiência com esse método avant-garde de construção", explicou May sobre a música. A técnica consistia basicamente nos integrantes da banda e Bowie entrarem na cabine e cantarem os versos que viessem à cabeça. “Então compilamos esses pedaços. E é nisso que 'Under Pressure' é baseada. Todos esses pensamentos aleatórios", concluiu.


+ Saiba mais sobre o tema por meio das obras a seguir disponíveis na Amazon:

Freddie Mercury - A Biografia Definitiva, Lesley-Ann Jones (2013) - https://amzn.to/2ulB7aJ

A Verdadeira História do Queen: Os bastidores e os segredos de uma das maiores bandas de todos os tempos, Mark Blake (2015) - https://amzn.to/2RcKaUL

Bowie, de Wendy Leigh (2016) - https://amzn.to/2NDAKiC

David Bowie: A Life (Edição Inglês), de Dylan Jones (2017) - https://amzn.to/2Rv0wqm

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W