Matérias » Roma Antiga

Romanos inundavam locais para simular batalhas navais, incluindo o Coliseu

Realizadas durante o século III a.C., as grandiosas batalhas eram realizadas com prisioneiros de guerra lutando até a morte para o agrado do imperador

Daniela Bazi Publicado em 18/12/2019, às 08h00

Obra de representação das naumaquias, de 1894
Obra de representação das naumaquias, de 1894 - Wikimedia Commons

As naumaquias foram batalhas navais simuladas feitas na Roma Antiga, onde lagos artificiais, construídos por prisioneiros de guerra, deveriam representar o derramamento de sangue, utilizando armas, barcos e criaturas marinhas, apenas para agradar o imperador.

Datados do século III a.C., as naumaquias teriam acontecido somente cinco vezes na história. Por serem mais caras que um espetáculo comum, eram organizadas apenas para comemorações especiais.

A primeira registrada foi em homenagem ao imperador Júlio César por seu quádruplo triunfo, em 46 a.C., nas guerras na Gália, no Egito, contra Farnaces de Pontus e para derrotar o rei Juba, de Numidia. O espetáculo contou com 2.000 combatentes e 4.000 remadores interpretados por prisioneiros de guerra.

Os prisioneiros de guerra que participavam das naumaquias eram obrigados a lutar até a morte / Créditos: Getty Images

 

O imperador ordenou a construção de uma piscina artificial perto do rio Tibre, que fosse capaz de suportar navios birremes, trirremes e quadrirremes autênticos. A naumaquia foi um sucesso entre o público, onde muitos se aglomeraram apenas para assistir ao espetáculo. Entretanto, com a grande empolgação para ver as cenas, alguns espectadores acabaram sendo pisoteados até a morte na tentativa de acompanhar o evento.

Augusto também teria organizado uma naumaquia em 2 a.C., em que contava com uma piscina que abrigava 30 navios, representando frotas de origem persa e ateniense.

Naumaquia realizada pelo imperador Augusto / Créditos: Getty Images

 

Em 52 d.C., Cláudio também decidiu fazer sua própria naumaquia. Desta vez, o evento foi feito em um lago com 19.000 soldados e 100 navios, que representavam seus rivais Rhodes e Cecily. De acordo com Tácito, diversos prisioneiros do imperador se recusavam a lutar, levando-o a enviar a guarda imperial para força-los a participar.

No ano de 57 d.C., o imperador Nero realizou sua naumaquia em um anfiteatro de madeira, o enchendo não apenas de água mas também de animais marinhos, como focas e hipopótamos. Em 80 d.C., poucas décadas depois, foi a vez de Tito fazer o seu espetáculo, que apresentou uma batalha normal com 3.000 homens.

Segundo o historiador Cassius Dio, aparentemente o Coliseu foi utilizado para a realização de uma naumaquia por pelo menos uma vez. Ela teria acontecido em 86 d.C., mas após uma violenta tempestade todos os combatentes e espectadores teriam falecido.


+Saiba mais sobre o Império Romano através dos livros abaixo

Grécia e Roma, Pedro Paulo Funari (2018)

link - https://amzn.to/38JHuVf

SPQR, Mary Beard (2017)

link - https://amzn.to/2PqM2YP

Roma: A História De Um Império, Greg Woolf (2017)

link - https://amzn.to/36HA03f

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.