Matérias » Ciência

A saga do lagarto que teve a ‘pior constipação’ do reino animal

Entenda por que o pequeno animal não conseguiu excretar a massa de cocô compacta

Isabela Barreiros Publicado em 05/12/2021, às 07h00

Tomografia mostra bolo fecal do lagarto constipado
Tomografia mostra bolo fecal do lagarto constipado - Divulgação/Edward Stanley, Florida Museum

A história de um lagarto que bateu o recorde de proporção de corpo para cocô surpreendeu cientistas em 2020. O pequeno animal estava em uma situação tão precária que seus órgãos estavam comprimidos e foram atrofiados devido à quantidade de massa fecal.

Tudo começou quando a pesquisadora Natalie Claunch, então doutoranda na Escola de Recursos Naturais e Meio Ambiente da Universidade da Flórida, encontrou o lagarto perto de uma pizzaria em Cocoa Beach, na Flórida, nos Estados Unidos.

A localização da descoberta do animal, que estava em formato quase de uma pêra, é extremamente importante. Enquanto ele se alimentava nas proximidades em sua dieta natural, que incluía insetos e pequenos répteis, acabou engolindo algo que não deveria.

Ao longo do tempo, o bicho ingeria, junto aos alimentos, partículas de areia encharcadas de gordura — provavelmente vestígios de pizza, ou de ingredientes usados em sua preparação, visto que ele foi encontrado perto de uma pizzaria.

O resultado disso foi um caroço muito denso, formado por uma massa arenosa muito pesada, que se tornou incapaz de excretar. Quanto mais ele comia, maior ficava a bola de cocô, causando a pior constipação já registrada no mundo animal.

As conclusões dos pesquisadores sobre o pequeno lagarto de cauda encaracolada do norte, da espécie Leiocephalus carinatus, foram publicadas na revista científica Herpetological Review em março do ano passado.

A "pior constipação" do reino animal

O lagarto com a barriga distendida / Crédito: Divulgação/Natalie Claunch

 

Quando Claunch descobriu o lagarto, chegou a suspeitar que o animal estivesse esperando filhotes, por se tratar de uma fêmea. No entanto, logo reconheceu que a barriga distendida não era causada pelo aglomerado de ovos, mas sim pelo enorme bolo fecal.

"Quando o capturamos, assumimos que o animal [uma fêmea] estava pronto para pôr ovos", escreveu a pesquisadora em uma nota publicada pelo site do Museu da Flórida. "Mas quando fomos procurá-los, parecia que ele estava cheio de massinha."

"Os ovos parecem grandes jujubas e você pode senti-los individualmente", explicou ao portal Live Science. "[Mas] era uma massa semissólida semelhante a uma massa de vidraceiro."

A situação deixou os cientistas apreensivos. "Eu estava preocupado que, a menos que fosse cuidadoso, poderia estourá-lo", contou Edward Stanley, cientista associado do Departamento de Herpetologia do Museu de História Natural da Flórida.

O especialista foi responsável pelos exames de tomografia computadorizada de raios-X (TC) no animal, em que foi possível até mesmo observar a massa fecal, de tão densa que ela era. Stanley disse que estava "um pouco nervoso porque [o corpo] estava muito cheio".

No entanto, nem todo cuidado do mundo poderia salvar o pequeno lagarto. Os pesquisadores foram incapazes de excretar a massa arenosa compacta de dentro do corpo e ele foi humanamente sacrificado, como relatou o estudo.

Não havia mais espaço para que o animal comesse qualquer coisa e ele estava lentamente passando fome. Além disso, seus órgãos internos, como ovários e fígados, foram atrofiados porque foram totalmente comprimidos pelo enorme bolo fecal.

Um espécime do lagarto em estado normal / Crédito: Charles J. Sharp via Wikimedia Commons

 

Com um peso de 28 gramas, somente a massa de fezes dentro do lagarto pesava 22 gramas. Isso significa que só o bolo fecal era 78,5% do peso total do pequeno animal, o que foi um número recorde, segundo os cientistas.

Eles escreveram que esta foi "a maior proporção entre fezes e massa corporal registrada em um animal vivo".

A fins de comparação, uma píton birmanesa, da espécie Python bivittatus, por exemplo, foi capaz de produzir uma massa fecal que representa 13% do seu peso corporal, sendo esta uma cobra conhecida por digerir refeições gigantes e excretar grandes massas fecais.


+Saiba mais sobre o reino animal por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Ocean: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2015) - https://amzn.to/31L941I

Animals: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2012) - https://amzn.to/33TNk6r

Life Lessons from the Heart of Horses: How Horses Teach Us About Relationships and Healing, de Kathy Pike (2021) - https://amzn.to/31JdYMA

Animal Kingdom: A Collection of Portraits, de Randal Ford (2018) - https://amzn.to/33QdKWN

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W