Vitrine » Entretenimento

5 vezes que impostos geraram revoluções na História

Ao longo dos séculos, questões tributárias são motivos de discórdia entre o povo e o governo

Victória Gearini Publicado em 24/10/2019, às 17h30 - Atualizado às 18h30

None
Getty Images

1. Revolução Farroupilhas

Iniciada em 1835, a Revolução de Farroupilhas foi motivada pelo o aumento nos impostos cobrados no charque, no sal e em outros produtos. As altas taxas levaram a burguesia gaúcha a lutar pela independência do Rio Grande do Sul perante o governo da época.  

O professor de História e jornalista, Rogério Bastos disse em entrevista para o G1 que os manifestantes buscavam melhorias. “Temos que olhar para o passado, não com os olhos de hoje, mas com a visão daquele momento histórico. Os estancieiros eram os líderes e buscavam melhorar a província que pertenciam”, disse.

Crédito: Wikimedia Commons

 

2. Independência dos Estados Unidos

Declarada no dia 4 de julho de 1776, a Independência dos Estados Unidos libertou as Treze Colônias do controle da Inglaterra. Ao longo do século 18, os ingleses envolveram-se em diversos conflitos e para cobrir as despesas, aumentaram os valores dos impostos cobrados nas colônias.

Em 1760, a Inglaterra instituiu diversas leis que permitiram o aumento de impostos sobre o açúcar, vinho, vidro, corante e chá. As medidas geraram insatisfações entre as Treze Colônias e culminaram para a Independência dos Estados Unidos.

Crédito: Wikimedia Commons

 

3. Revolução Francesa

Ocorrida entre 1789 e 1799, a Revolução Francesa marcou o fim do absolutismo na França.  Nesta época, havia muitos gastos financeiros por parte da realeza e do clero francês. Para solucionar este problema, o governo aumentou os impostos dos súditos.

Insatisfeita, a burguesia organizou atos para derrubar a monarquia e para isso obteve ajuda popular. Em 14 de julho de 1789, a população parisiense atacou a prisão em que opositores do absolutismo estavam detidos. Portanto, a Queda de Bastilha marca o início da Revolução Francesa.

Crédito: Getty Images

 

4. Inconfidência Mineira

Também conhecida por Conjuração Mineira, a Inconfidência ocorreu em 1789 e foi planejada por parte da elite de Vila Rica — atual Ouro Preto (MG). O principal motivo que levou a revolução foi à indignação popular contra a operação fiscal realizada pela coroa portuguesa que teve como objetivo cobrar os impostos atrasados.

O ato culminou na execução de um dos principais líderes do movimento. Tiradentes foi o único que assumiu a participação na conspiração contra a coroa. A Inconfidência Mineira visava à construção de Estado independente, com total controle político e social.

Crédito: Wikimedia Commons

 

5. Carta Magna

O contexto em que a Carta Magna foi criada é de transição da alta Idade Média para a baixa Idade Média. Durante seu reinado, o Rei João da Inglaterra impôs uma política tributária aos seus súditos, em que aumentou o valor dos impostos arrecadados.

Revoltados com as medidas impostas pelo rei, a população lhe forçou a assinar Carta Magna, em 1215. Mais tarde, esse documento inspirou a declaração dos direitos humanos.

Crédito: Getty Images

 


Saiba mais sobre essas revoluções com as obras abaixo:

1. Uma história farroupilha: 388, de Moacyr Scliar (2004) - https://amzn.to/2PjkK7c

2. A Guerra da Independência dos Estados Unidos da América. 1775-1783, de Richard Middleton (2012) - https://amzn.to/2MLWSrk

3. 1789: O surgimento da Revolução Francesa, de Georges Lefebvre (2019) - https://amzn.to/2pd872N

4.1789 - A Inconfidência Mineira e a Vida Cotidiana nas Minas do Século XVIII, de José Antonio Martino (2014) - https://amzn.to/364zcWw

5. Magna Carta, de Ralph Turner (2018) - https://amzn.to/2MH6KCt

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página. ​