Curiosidades » Literatura

Grupo dos Cinco: os precursores do Modernismo no Brasil

Iniciado na Semana de Arte Moderna, em São Paulo, em 1922, este movimento é marcado por novos paradigmas sociais e artísticos

Victória Gearini Publicado em 26/02/2020, às 19h36

Tarsila do Amaral (1886-1973) e Mário de Andrade (1893-1945)
Tarsila do Amaral (1886-1973) e Mário de Andrade (1893-1945) - Creative Commons

O movimento Modernista chegou ao Brasil sob influências europeias na primeira metade do século 20, e atuou, principalmente, na Literatura e no campo das artes plásticas. Com o objetivo de criar novos paradigmas sociais e artísticos, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Menotti Del Picchia, Tarsila do Amaral e Anita Malfatti — mais conhecidos como o Grupo dos Cinco — impactaram o país em 1922.

A Semana de Arte Moderna — ou Semana de 22 — foi realizada no Teatro Municipal, em São Paulo, durante os dias 11 a 18 de fevereiro de 1922. Por meio de danças, músicas, exposições e recitais de poesias, o movimento chocou a sociedade brasileira, por enfrentar e romper com o tradicionalismo da época.

O Grupo dos Cinco é considerado o precursor do movimento, por isso, fazem parte da primeira fase modernista. Confira a seguir:

1. Oswald de Andrade (1890-1954)

Oswald de Andrade / Crédito: Wikimedia Commons

 

O escritor, ensaísta e dramaturgo brasileiro, Oswald de Andrade, foi um dos autores mais importantes dos dois manifestos modernistas: o Manifesto da Poesia Pau-Brasil e o Manifesto Antropófago. Além disso, foi o responsável por escrever o primeiro livro de poemas do modernismo brasileiro, o Pau-Brasil, que se distancia das características do período romântico.

2. Tarsila do Amaral (1886-1973)

Tarsila do Amaral / Crédito: Wikimedia Commons

 

Tarsila do Amaral foi uma das precursoras do movimento antropofágico nas artes plásticas, com a sua obra Abaporu, de 1928.  Pintora, desenhista e tradutora brasileira, Tarsila gostava de retratar a exuberância da fauna e da flora nacional, além dos símbolos da modernidade urbana.

3. Mário de Andrade (1893-1945)

Mário de Andrade / Crédito: Wikimedia Commons

 

O escritor e fotógrafo Mário de Andrade, teve sua primeira obra modernista publicada em 1922, que foi chamada de Pauliceia Desvairada. Após trabalhar como professor e colunista em um jornal, lançou um dos maiores clássicos da literatura nacional: Macunaíma, em 1928. Durante 20 anos, o poeta foi a figura central da vanguarda de São Paulo.

4. Anita Malfatti (1889-1964)

Anita Malfatti / Crédito: Wikimedia Commons

 

Anita Malfatti foi uma  pintora, desenhista, gravadora, ilustradora e professora ítalo-brasileira. Teve sua primeira exposição individual em 1914, aos 24 anos de idade. Sob influências do estilo artístico europeu — que aprendeu enquanto estudou fora do país — Anita teve sua exposição criticada pelo senador José de Freitas Valle. Após o ocorrido, voltou a estudar fora, até que anos mais tarde retornou para o Brasil e decidiu participar da Semana de Arte Moderna. 

5. Menotti Del Picchia (1892-1988)

Menotti Del Picchia / Crédito: Wikimedia Commons

 

Menotti Del Picchia foi um  poeta, jornalista e advogado brasileiro. Engajado na política, participou da Revolução de 32 e, posteriormente, atuou em diversos cargos públicos. Em 1968, foi contemplado com o título de Intelectual do Ano e nomeado como o Príncipe dos Poetas Brasileiros em 1982.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras:

1. Poesias reunidas, de Oswald de Andrade (2016) - https://amzn.to/2VpJHkg

2. Tarsila popular, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2HZVQ7S

3. Box Obras de Mário de Andrade, de Mário de Andrade (2017) - https://amzn.to/32ruyAE

4. De Anita ao museu: o Modernismo, da primeira exposição de Anita Malfatti à primeira Bienal, de Paulo Mendes de Almeida (2015) - https://amzn.to/38XHd0B

5. Melhores Poemas Menotti del Picchia, de Menotti del Picchia (2004) - https://amzn.to/393Wg8W

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.