Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Curiosidades / A Sociedade da Neve

A Sociedade da Neve: Homem desistiu de viagem que acabou em tragédia horas antes

Sucesso na Netflix e indicado ao Oscar, o filme A Sociedade da Neve retrata uma das maiores tragédias da história da aviação

por Thiago Lincolins

tlincolins_colab@caras.com.br

Publicado em 06/02/2024, às 17h43

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Os amigos Numa Turcatti, Gastón Costemalle e Alfredo Cibils (à esqu.) e foto do filme (à dir.) - Arquivo pessoal e Divulgação/Netflix
Os amigos Numa Turcatti, Gastón Costemalle e Alfredo Cibils (à esqu.) e foto do filme (à dir.) - Arquivo pessoal e Divulgação/Netflix

Sucesso na Netflix, 'A Sociedade da Neve' se tornou um dos filmes mais comentados no mês de janeiro. Indicado ao Oscar na categoria 'melhor filme estrangeiro', o longa retrata a história real de uma das maiores tragédias da história da aviação. 

Em outubro de 1972, uma aeronave que levava a equipe de rugby uruguaia 'Old Christians Club', do Uruguai até o Chile, colidiu com uma montanha na Cordilheira dos Andes. Além dos esportistas, o avião também contava com familiares e colegas, totalizando 45 passageiros.

Após a queda, aqueles que sobreviveram não encontraram um cenário positivo: precisaram encarar o frio, a fome e o medo do resgate nunca acontecer. Após semanas sem comida, concordaram em ceder o próprio corpo, caso falecessem, para que os sobreviventes pudessem se alimentar. Após mais de 70 dias, o pesadelo chegou ao fim. Apenas 16 dos rapazes foram resgatados.

Baseado no livro de mesmo nome, Juan Antonio Bayona, diretor do filme, adaptou a história escrita pelo jornalista Pablo Vierci. Sensível e respeitoso as vítimas e sobreviventes, o filme surpreende. 

Uma história impressionante a respeito dos eventos anteriores ao acidente é a de Alfredo Cibils. Ele foi o responsável por convencer Numa Turcatti a viajar com o time. No entanto, o convite fora feito, na realidade, por outro amigo, um dos jogadores do time, chamado Gastón Costemalle. 

Numa Turcatti em 'A Sociedade da Neve' - Divulgação/Netflix

Com uma experiência prévia agradável a bordo do avião da Força Aérea Uruguaia, Alfredo relatou a Numa Turcatti que o trajeto foi seguro e que a viagem resultou em festas e troca de telefones com moças chilenas. 

Numa, que se formaria em direito, não era fã de noitadas e tinha timidez com as mulheres, explica a BBC. Embora não tenha demonstrado o mesmo entusiasmo de Alfredo, aceitou a viagem.

Ao tentar evitar a viagem, até mesmo disse ao amigo que não teria dinheiro o suficiente para a viagem. Mas, Alfredo pediu que ele tentasse conseguir o valor com a mãe ou o pai. Ao ser incentivado pelos familiares, Numa confirmou que participaria da viagem.

No dia anterior da viagem que acabaria em tragédia, 11 de outubro de 1972, Alfredo faria uma prova da faculdade, na qual cursava direito às 14h. No entanto, uma greve estudantil acabou adiando o teste para o dia seguinte. O avião partiria no dia seguinte às seis da manhã, assim o impedindo de viajar com amigos.

Desistência

Havia marcado de se encontrar com os amigos e informar o problema às 17h. Na ocasião, se reuniram para visualizar as fotos feitas por Cibils na viagem anterior.

Após a ajuda do amigo Pancho Delgado, Alfredo conseguiu a autorização para fazer o teste após a viagem. Mas, preocupado com a vida estudantil, optou por desistir, de fato, da viagem sete horas antes do avião decolar.

Ao comunicar a decisão aos pais, entrou em contato com a mãe de Gastón Costemalle. Como iriam juntos até o aeroporto, ele pediu para avisar que o amigo não precisaria buscá-lo. Também solicitou que a desistência não fosse informada aos colegas Numa e Pancho antes de chegarem ao local para o embarque.

Cena do filme 'A Sociedade da Neve' - Divulgação/Netflix

No dia 13 de outubro, recebeu a dura notícia no momento em que entrou no prédio onde residia. Alfredo foi informado através do porteiro que o seu nome constava entre as vítimas do acidente de avião que caiu na Cordilheira dos Andes no dia 12.

Homenagem

Numa, infelizmente, faleceu no dia 11 de dezembro, ao não resistir a uma infecção generalizada. Ele havia desenvolvido escaras nas costas. O livro de Pablo Vierci, inclusive, cita que ele tentou sair do local remoto em dois diferentes momentos, no entanto, desistiu.

Já Gastón faleceu no impacto da queda do avião. Alfredo, entretanto, conseguiu homenagear Numa, que era apaixonado por futebol. O nome do Loyola Fútbol Club foi renomeado para Numa Turcatti.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!