Curiosidades » Segunda Guerra Mundial

Veja 5 dúvidas sobre a vida melancólica de Anne Frank

Embora jovem judia tenha ficado famosa após a publicação de seu diário, a garota nunca viu a dimensão de sua fama e a sua importância para a História

Victória Gearini Publicado em 13/03/2021, às 08h00

Fotografia de Anne Frank
Fotografia de Anne Frank - Domínio Público

Durante os dias árduos e sombrios da Segunda Guerra Mundial, a adolescente judia  Anne Frank escreveu em seu diário o seu cotidiano confinada no Anexo Secreto — hoje em dia um museu localizado em Amsterdã. O diário lhe foi dado em seu aniversário de 13 anos e entre 12 de junho de 1942 e 1º de agosto de 1944 lhe fez companhia durante os dias mais difíceis do conflito sangrento. 

Mais tarde, o diário feito com uma capa de pano xadrez, tornou-se uma das maiores obras literárias deste período. Contudo, a jovem nunca viu seu sucesso, pois veio a óbito em 1945, no campo de concentração nazista de Bergen-Belsen. 

Ao longo dos anos, a história de Anne Frank se popularizou e sua obra ganhou diversas adaptações literárias e cinematográficas. Entretanto, ainda hoje, algumas dúvidas e curiosidades sobre ela fazem parte do imaginário popular. 

Pensando nisso, o site Aventuras na História selecionou 5 fatos sobre a vida melancólica da jovem judia que marcou a história da humanidade.

Confira abaixo.

1. Como a SS soube do Anexo Secreto?

De acordo com a BBC, até meados de 2016, os especialistas acreditavam que o Anexo Secreto teria sido denunciado às autoridades nazistas. Contudo, um estudo realizado pela Casa de Anne Frank, levantou uma nova teoria que o local pode ter sido encontrado de maneira despretensiosa. 

Esconderijo de Anne Frank / Crédito: Divulgação / Anne Frank Stichting Fundation

 

Dirigida por Gertjan Broek, a pesquisa indicou que os oficiais estariam investigando uma suposta fraude de cupons de alimentos na distribuição do armazém que funcionava no mesmo prédio do esconderijo. Como o local já estava na mira dos nazistas, não foi difícil descobrir os moradores do Anexo Secreto. Entretanto, vale ressaltar que a hipótese de traição nunca foi descartada pelos especialistas.


2. Que horas a jovem se dedicava a escrever?

Aspirante a escritora, Anne Frank dedicava-se integralmente ao seu diário e sonhava que após a guerra seus escritos seriam publicados. A jovem, por sua vez, nunca viu seu sonho ser realizado, mas a sua importância para a história é inestimável. 

Imagem do diário de Anne Frank / Crédito: Getty Images

 

Em geral, a jovem acordava cedo para tomar café e logo em seguida começava a se dedicar aos estudos e leituras matinais. Quando os funcionários do prédio iam almoçar a família costumava se atualizar sobre a guerra através do rádio.

Já no período da tarde, quando os moradores do esconderijo aproveitavam para dormir um pouco, Anne utilizava o momento de silêncio para escrever em seu diário. Nele a garota expressava seus sentimentos mais profundos, descrevia o cotidiano no Anexo Secreto e denunciava os horrores e avanços do conflito sangrento.  


3. Como foram os últimos momentos de vida da adolescente?

Após os moradores serem descobertos pelos oficiais da SS, eles foram separados e tiveram finais distintos, sendo o único sobrevivente Otto Frank, pai da autora judia. 

Foto de Anne Frank / Crédito: Wikimedia Commons

 

Anne, por sua vez, foi enviada inicialmente para Auschwitz, mas logo foi transferida para Bergen-Belsen, onde reencontrou sua amiga de infância Nanette Blitz Konig, uma das últimas pessoas a vê-la viva. Segundo a BBC, a sobrevivente disse que a amiga era “praticamente uma morta-viva". As irmãs Frank vieram a óbito em fevereiro de 1945, após contrair tifo. Já os restos mortais das garotas foram destinados a valas comuns da Segunda Guerra.


4. Por que Anne deu o nome de Kitty ao seu diário?

Uma das perguntas mais frequentes é: Por que Anne deu o nome de Kitty ao seu diário? Conforme apontou a BBC, há um motivo plausível por trás do curioso nome dado pela escritora. 

Retrato da jovem judia Anne Frank / Crédito: Wikimedia Commons

 

Segundo o veículo, Kitty Francken era, na verdade uma das protagonistas da série de livros “Joop ter Heul”. Em um primeiro momento, a jovem direcionou seus escritos aos personagens da obra, mas após um tempo, decidiu aprimorar o seu diário, visando que um dia ele seria publicado. 


5. O diário foi forjado?

Já de imediato respondemos que a resposta é: NÃO.

Ao longo dos anos, muitas pessoas especularam que o famoso diário teria sido forjado, principalmente por Otto Frank. De acordo com a BBC, existem diversas teorias que afirmam que os escritos originais teriam sido alterados, inclusive por Miep Gies, a secretária do armazém. 

Páginas do diário de Anne Frank / Crédito: Getty Images

 

Contudo, essas e outras teorias mirabolantes foram derrubadas ao longo dos anos. Segundo a BBC, o Instituto para Documentação de Guerra comprovou a autenticidade da obra, derrubando as teses de fraude. 


+Saiba mais sobre a Anne Frank por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

O diário de Anne Frank, de Anne Frank (1995) - https://amzn.to/2JR6kqQ

Anne Frank: Obra reunida, de Anne Frank (2019) - https://amzn.to/3c2DPCU

O diário de Anne Frank em quadrinhos, de Ari Folman e David Polonsky (2017) - https://amzn.to/2VbgbgC

Tudo sobre Anne, de Casa de Anne Frank (2019) - https://amzn.to/39V3QSU

Anne Frank ― A biografia ilustrada, de Sid Jacobson (2017) - https://amzn.to/3aVlszl

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W