Notícias » Mianmar

75 crianças foram mortas por repressão militar em Mianmar, diz Comitê da ONU

O caso mais chocante seria de uma menina de seis anos que morreu nos braços do pai após ter sido baleada no estômago

Fabio Previdelli Publicado em 17/07/2021, às 12h34

Protestos em Mianmar
Protestos em Mianmar - Getty Images

Em 1º de fevereiro, um golpe de Estado derrubou o presidente de Mianmar e colocou na cadeia diversos de seus apoiadores. Desde então, a população do país realizou inúmeros protestos pela soltura dos políticos eleitos democraticamente.  

Entretanto, o grupo militar, que agora está no comando da nação, revidou de forma truculenta os atos dos manifestantes. Segundo denunciou o Comitê dos Direitos da Criança da ONU, ao menos 75 menores morreram por conta da repressão que se instaurou pelas autoridades de Mianmar.  

Além disso, o órgão acredita que cerca de outras mil foram detidas de maneira arbitrária. De acordo com um comunicado, o presidente do comitê Mikiko Otani afirmou que “as crianças de Mianmar estão sitiadas e correm o risco de uma catastrófica perda de vidas como resultado do golpe militar". 

"75 crianças foram assassinadas, cerca de 1.000 foram detidas arbitrariamente, e muitas outras privadas de atenção médica básica e educação", declarou Otani

Uma das mortes mais chocantes, segundo o Comitê dos Direitos da Criança da ONU, foi de uma menina de seis anos, que foi assassinada em sua própria casa, na segunda cidade mais importante do país, Mandalay. O órgão explica que ela morreu nos braços do pai depois de ser baleada no estômago por policiais.