Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Egito

A fascinante tumba de 4.000 mil anos aberta e documentada no Egito

Com ricos detalhes, a impressionante tumba foi aberta ao público no Egito

Redação Publicado em 21/02/2023, às 12h28 - Atualizado em 22/02/2023, às 11h37

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Registro da tumba documentada e restaurada no Egito - Centro Polonês de Arqueologia Mediterrânea da Universidade de Varsóvia
Registro da tumba documentada e restaurada no Egito - Centro Polonês de Arqueologia Mediterrânea da Universidade de Varsóvia

Após um valioso processo de restauração e documentação, o Egito agora permite que turistas visitem uma tumba de 4.000 anos que compreende a civilização que prosperou às margens do Nilo. A novidade divulgada no começo do mês é fascinante, afinal, é a mais antiga estrutura que pode ser visitada na margem ocidental de Luxor.

A tumba fora elaborada para abrigar os restos mortais de Meru, um antigo oficial de alto escalão que atuava na corte do rei Mentuhotep II, da 11ª Dinastia, que liderou o Egito até 2004 a.C, disse o ministério através de um comunicado.

Detalhe da pintura identificada na tumba /Crédito: Centro Polonês de Arqueologia Mediterrânea da Universidade de Varsóvia

A tumba

O túmulo, que agora pode ser visitado, está localizado na necrópole norte de Asasif, local que ficou marcado pelo sepultamento dos mais proeminentes oficiais do Império Médio do Egito (2055-1773 a.C.).

"Este é o primeiro local de um período tão antigo em Tebas Ocidental a ser acessível aos visitantes", enfatiza o comunicado do ministério, repercutido pela Reuters e citando Fathi Yassin, diretor-geral de Antiguidades do Alto Egito.

Mais detalhes da tumba aberta e documentada no Egito /Crédito: Centro Polonês de Arqueologia Mediterrânea da Universidade de Varsóvia

A tumba, construída em frente do trajeto que resultava no templo do faraó, apresenta um corredor que terminava numa capela de oferendas e apresenta um nicho que apresenta uma escultura de Meru. Além disso, a tumba foi elaborada com um poço funerário que apresenta um sarcófago.

"Esta é a única câmara decorada da tumba, com uma decoração incomum de pintura em gesso", disse Yassin.

Esculpido em rocha, o fascinante túmulo passou por restaurações do Centro Polonês de Arqueologia Mediterrânea da Universidade de Varsóvia e pelo Conselho Supremo de Antiguidades do Egito.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!