Notícias » Crimes

“Aguentei muitas calúnias”, diz Flordelis após testemunha falar de automutilação de sua filha

Depois de depoimento citar que filha da parlamentar se cortou com estilete após discussão com a mãe, a deputada usou suas redes sociais para se manifestar. “Vocês vão começar a ouvir o outro lado dessa história"

Fabio Previdelli Publicado em 30/11/2020, às 15h55

Flordelis e Anderson do Carmo dias antes do assassinato do pastor
Flordelis e Anderson do Carmo dias antes do assassinato do pastor - Divulgação

Após uma testemunha citar em depoimento que uma das filhas adotivas de Flordelis se mutilou após uma briga com a mãe, a parlamentar se defendeu em suas redes sociais dizendo que vai contar sua versão por trás de toda a história. 

"Aguentei muitas calúnias calada sem me manifestar pra não atrapalhar as investigações, mas agora vocês vão começar a ouvir o outro lado dessa história, o que a mídia não mostra, as injustiças e as acusações sem provas que estão sendo feitas contra mim", disse.  

Segundo depoimento dado no processo do qual a deputada é ré pela morte de seu marido, o pastor Anderson do Carmo, a menina teria escrito no seu próprio braço com um estilete a frase “EU S LIXO”, após ter sido ofendida dessa forma por Flordelis.   

Na publicação, a deputada também postou um vídeo de uma visita que teria feito à filha. “Gravei esse vídeo ontem quando fui visitar a minha filha no hospital, ela foi internada pra tratar de problemas emocionais causados por mentiras que foram feitas contra nós”.  

“Venho aqui dizer que não vou admitir que meus filhos sejam atingidos mais, pra desabafar a minha dor e indignação com tantas declarações infundadas que além de manchar a minha reputação, só afastam a justiça de descobrir a verdade sobre os fatos”, argumentou.  

A parlamentar ainda disse que não ficará de “braços cruzados” sendo acusada por algo que ela não fez e que faz seus filhos “sofrerem”. Flordelis terminou sua publicação agradecendo as “mensagens de carinho dos que estão do meu lado” e pediu para que todos continuem orando por ela, “pois a verdade vai vencer!”. 

Apesar de negar a participação no assassinato do marido, a deputada só não foi presa ainda por contar imunidade parlamentar.  

O crime

Um ano e dois meses de puro silêncio até que o nome do pastor Anderson do Carmo voltar às manchetes. No dia 16 de junho de 2019, mais de 30 tiros foram disparados contra o homem em um caso que chocou o país.

Meses mais tarde, a Operação Lucas 12, em referência ao capítulo bíblico de mesmo nome, desmascarou outros integrantes do assassinato. No total, onze familiares e amigos do pastor foram indiciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.

Entre os acusados, o nome mais surpreendente é o de Flordelis dos Santos de Souza, a esposa da vítima. Além dela, mais cinco dos 55 filhos do casal foram indiciados e presos pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, no dia 24 de agosto de 2020.